Dezenas de múmias de gatos encontradas no Egito

Arqueólogos encontram ainda um túmulo que nunca foi aberto e uma rara coleção de escaravelhos mumificados. Entre os achados há uma estátua de um gato em bronze em homenagem à deusa Bastet

São dezenas as múmias de gatos encontradas pelos arqueólogos quando faziam escavações no complexo da pirâmide de Saqqara, a sul do Cairo. O achado trouxe ainda à luz do dia uma rara coleção de escaravelhos.

Ao todo, foram descobertos sete sarcófagos, dois deles com mais de seis mil anos, no Khufu-Imhat, superintende dos edifícios do palácio real. Um deles ainda não foi aberto - data da V Dinastia do Antigo Império e apresenta traços incomuns já que tanto a fachada como a porta estão intactos, o que significa que o seu conteúdo pode ainda estar intocado, explicou Mohamed Youssef, diretor da área arqueológica de Saqqara. O objetivo é explorá-lo nas próximas semanas.

A descoberta foi feita por missão uma arqueológica egípcia durante os trabalhos das escavações que tiveram início em abril, disse o ministro egípcio das Antiguidades, Khaled el-Enany. Três dos túmulos remontam à época do Novo Império (1539-1075 antes de Cristo - a.C) e foram utilizados para gatos, referiu o governante, acrescentando que os outros quatro datam do período do Antigo Império (4 300 anos a.C.).

O vasto cemitério da zona de Saqqara serviu a cidade de Memphis, antiga capital do Egito por 2 000 anos. Os antigos egípcios acreditavam que os gatos e outros animais ocupavam uma posição especial na vida depois da morte.

As múmias de gatos estavam preservadas em três túmulos. E os arqueólogos encontraram ainda 100 estátuas de gatos de madeira douradas e uma de bronze dedicada à deusa do gato, Bastet.

Tal como os gatos, os escaravelhos também tinham um significado religioso e simbolizavam o deus sol, Ra. Os arqueólogos desenterraram as primeiras múmias de escaravelhos encontrados - duas delas estavam dentro de um sarcófago retangular de pedra calcária com uma tampa tampa abobadada decorada com três escaravelhos pintados de preto, anunciou Mostafa Waziri, chefe do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito, citado pelo The Guardian.

"O escaravelho [mumificado] é algo realmente único. É algo realmente um pouco raro", disse Waziri. "Há alguns dias, quando descobrimos esses caixões, eles eram apenas caixões fechados com desenhos de escaravelhos. Nunca ouvi falar deles antes."

A equipa de arqueólogos que está a fazer explorações em Saqqara encontrou ainda estátuas de madeira douradas de um leão, uma vaca e um falcão.

E mais: cobras de madeira pintadas e sarcófagos de crocodilos, bem como uma coleção de estátuas douradas que representam características de animais, bem como amuletos, jarras canopianas, ferrameras de escrita e cestas de papiros.

O Egito tem insistido em publicitar as novas descobertas numa estratégia para reavivar o Turismo, um setor que tenta recuperar da revolta de 2011, que derrubou Hosni Mubarak da presidência do país, depois de se ter mantido no poder quase durante 30 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG