Timor-Leste

Opinião

Timor, Indonésia e o sabão azul do padre Melícias

O título do editorial do Jakarta Post no aniversário dos 20 anos do referendo em Timor diz tudo: "O nosso bom vizinho." Aproveitando a efeméride dessa votação de 30 de agosto de 1999 (quase 80% a favor da independência), o jornal indonésio fazia uma avaliação crítica do período de ocupação e em especial da repressão nos dias após se saber o resultado do referendo, mas sobretudo enfatizava a boa relação entre a Indonésia e Timor hoje existente. E a provar essa admirável reconciliação surgiu entretanto o vídeo de B.J. Habibie moribundo a ser abraçado por Xanana Gusmão, com carinho evidente entre eles, um o presidente indonésio que permitiu a autodeterminação da antiga colónia portuguesa no Pacífico, o outro o primeiro presidente de Timor.

Opinião

24 horas em Timor para a vida inteira. Por Graça Henriques

Quando a comitiva do então Presidente da República Jorge Sampaio aterrou no aeroporto de Díli faltavam poucas horas para a declaração oficial da independência de Timor-Leste. Meio mundo tinha-se deslocado ao território para assistir ao nascimento de um país - estava lá o secretário-geral das Nações Unidas Kofi Annan, o ex-presidente americano Bill Clinton, a presidente da Indonésia Megawati Sukarnoputri e dignitários de 92 países. A comunidade internacional em peso para assistir à festa da independência, onde aprendi que é possível chorar em silêncio. Mesmo que sejam milhares a chorar ao mesmo tempo. E que quando se alcança a liberdade, aprende-se a perdoar.