Memória

Quando o Natal não tinha excessos de consumo

Memória

Quando o Natal não tinha excessos de consumo

O Natal é celebrado, com maior ou menor solenidade, pelo menos, desde a Alta Idade Média. A mesa melhorava, os pobres podiam ser contemplados com um bodo pelo senhor do castelo, mas a festa era essencialmente religiosa e passava-se sobretudo em igrejas e mosteiros. Texto de Maria João Martins O Natal sem presentes nem parece Natal", queixou-se Jo, a mais talentosa das quatro irmãs March, eternizada pela muito popular novela juvenil de Louisa May Alcott, Mulherzinhas. Em plena Guerra Civil Americana, o espírito (e a bolsa) do comum dos cidadãos não estava propriamente com ânimo para festividades. No entanto, nessa [...]

Memória

Segredos, histórias e curiosidades do Porto por Germano Silva

É um dos maiores conhecedores da cidade do Porto, jornalista, cronista e escritor, Germano Silva teve como tarefa mostrar a sua cidade a um lisboeta. Texto de Filipe Gil | Fotografia de Igor Martins (Global Imagens) O ponto de encontro foi mesmo em frente à Sé, a meio da manhã. No local onde o Porto começou. Debaixo de chuviscos do típico céu cinzento com que o Porto costuma brindar os seus visitantes no outono, Germano Silva começou a mostrar a cidade que é muito dele. O jornalista de 88 anos, que embora reformado continua ligado ao Jornal de Notícias, é [...]

Opinião

O segredo da memória de elefante

Com a chegada da época dos exames e avaliações escolares, os lamentos são habituais: «Ah! Se eu tivesse mais capacidade de concentração!» «Ah! Se eu tivesse mais memória!» É neste contexto que, muitas vezes, os jovens encontram nos anúncios de televisão a solução para estas «limitações»: suplementos alimentares. Prometem aumentar as capacidades cognitivas, mas também resolver problemas de cansaço, melhorar o sistema imunitário, resolver estados depressivos. O problema é que não existem ensaios clínicos que confirmem que estes suplementos são eficazes naquilo a que se propõem. Jovens e pais acabam por cair na falácia de tentar «comprar» memória em caixinhas. [...]