Marco António Costa

Opinião

A brincar com a Educação

Não há outra forma de caracterizar a atuação do atual ministro da Educação. O hesitante "jovem", como paternalmente o dirigente da Fenprof o caracteriza e o desculpa, tem brincado a ser ministro da Educação. Com isso, introduziu instabilidade e imprevisibilidade no sistema educativo, quebrou linhas de continuidade da política educativa, pôs em causa o princípio da confiança e criou um clima de confrontação social junto das escolas, das famílias e dos alunos. Sem uma ideia ou outro propósito que não o de expressamente "arrasar" com as políticas de Nuno Crato, o ministro acumula trapalhadas, tropeça a cada despacho, a cada intervenção, numa política sem rumo certo que, infelizmente para o sistema educativo português, poderá pôr em causa o muito que foi alcançado nas últimas décadas.