histórias

histórias

VÍDEO: Perigo! Há gente feliz no Centro Comunitário da Gafanha do Carmo

Música sempre a bombar na sala de convívio, vídeos-paródias que são um sucesso na Internet, programas de televisão, dois cães que vão para todo o lado. O Centro Comunitário da Gafanha do Carmo é uma casa onde entra muita luz. O ambiente é descontraído e as paredes têm fotografias dos moradores vestidos de super-heróis e de estrelas de rock. Um dia normal não é propriamente um dia normal. Para ler, este domingo, na “Notícias Magazine”.

histórias

Joana Caldeira: guerra declarada às dores lombares

Texto de Ana Tulha E se uma investigação conduzida a partir do Porto puder ajudar a melhorar a vida de mais de metade da população mundial? O desígnio é arrojado, à primeira vista utópico, mas está mais perto de se tornar realidade do que se possa pensar. Muito graças a Joana Caldeira, investigadora do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) e do Instituto de Engenharia Biomédica (INEB), ambos da Universidade do Porto. Esta cientista portuense, de 35 anos, tem-se debruçado sobre a regeneração dos discos intervertebrais (existentes na coluna), frequentemente responsáveis pelas dores lombares. Os progressos feitos fizeram […]

histórias

Philippe Vergne: O curador que se segue

Texto de Alexandra Tavares-Teles Escolhido a dedo e por unanimidade pelo Conselho de Administração para a Direção do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, num processo que envolveu candidatos de todo o Mundo e a opinião reconhecida de vários diretores de museus internacionais, o curador francês Philippe Vergne regressa à Europa ao fim de 22 anos de vivência nos Estados Unidos. Foi em 1997 que trocou a Direção do Museu de Arte Contemporânea de Marselha pela curadoria do Walker Art Center, Minneapolis, onde esteve entre 2005 e 2008. Foi depois diretor da Dia Art Foundation, Nova Iorque (2008 a 2014), […]

histórias

Virgin Atlantic acaba com ditadura da maquilhagem

Texto de Filomena Abreu A tripulação feminina da companhia aérea Virgin Atlantic já tem a possibilidade de ir trabalhar sem usar maquilhagem. Além disso, as calças passarão a fazer parte do uniforme das hospedeiras de bordo. As mudanças acontecem após a empresa britânica ouvir as sugestões dos funcionários, que desejavam ter mais liberdade de escolha na forma como se apresentavam e expressavam. A tripulação de cabine da companhia aérea veste-se de vermelho vivo e é geralmente considerada glamorosa e sofisticada, usando quase sempre cabelos longos e muita maquilhagem. A maioria das companhias aéreas ainda tem regras rígidas no que toca […]

histórias

O som é meu

Texto de Filomena Abreu Finais do século XIX. As centrais de atendimento telefónico fervilham. Há um constante ruído de fundo – trriim-trriim-trriim – misturado com vozes simpáticas, seladas por um clack-clack metálico de cabos jack a encaixar em ranhuras. O trabalho é feito por dezenas de mulheres, sentadas em frente a painéis. Eram elas que atendiam e redirecionavam chamadas, um pouco por todo o Mundo. Em comum, além da destreza das operações, tinham um apetrecho sobre as cabeças. Volvidos quase 200 anos há, nas imagens a preto e branco daquela época, algo de muito atual: os auscultadores. Avanço no tempo. […]

histórias

Francisca Van Dunem: “Não tenho a certeza do que poderia acontecer se aparecesse uma candidata negra à Presidência da República”

O encontro decorreu no gabinete de Francisca Van Dunem, voltado para o Terreiro do Paço. Sala luminosa dominada pela tapeçaria de Guilherme Camarinha e pela secretária pesada e em ordem. De objetos pessoais, apenas “O Lobo na Pele de Cordeiro”, quadro que “a acompanha para todo o lado”. Assim apresentado em vários trabalhos jornalísticos pela ministra, a ponto de a autora, a irlandesa Susan Norris, já ter manifestado o desejo de conhecer a proprietária da obra. Na entrevista, realizada a 22 de fevereiro, a primeira mulher negra a integrar um Governo português alertou para o perigo de se reabrirem capítulos […]

histórias

João Salaviza e Renée Nader Messora: nove meses a rodar com os índios

Texto de Jorge Manuel Lopes O final de tarde de primavera precoce traz uma revoada de adolescentes à praça em frente ao Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), na cidade berço. Um final de tarde de sexta-feira e na instituição há escadotes, berbequins e caixas de ferramentas a afinar as exposições do ciclo “Pensamento Ameríndio”. Uma dessas exposições, “Carõ: Multidões da Floresta”, visível até 9 de junho, justifica a presença em Guimarães de João Salaviza e Renée Nader Messora, casal em artes e nos afetos. “Carõ” complementa, através de instalações, imagens em movimento, esculturas, desenhos, palavras & etc., […]

histórias

Nascido para brilhar

Texto de Ana João Mamede O sutiã tem muita história para contar. Os primeiros protótipos surgiram há dois mil anos, na ilha de Creta, na Grécia. As gregas começaram por usar faixas de pano à volta do peito, para o tapar e moldar. Mas a tendência acabou por desaparecer e só no fim do século XVI a ideia renasceu em forma de espartilho, proporcionando uma silhueta de ampulheta, que destacava os seios através de cordões tão apertados que, por vezes, as mulheres acabavam por desmaiar. Mais tarde, em 1889, Herminie Cadolle, tentando criar um acessório mais confortável e prático, cortou […]

histórias

Laranja Pontes. Uma vida contra o cancro

Texto de Alexandra Tavares-Teles Nasceu no dia 29 de novembro de 1951, passava o comboio das sete da tarde na estação de Vila do Conde, chefiada pelo pai, ferroviário de profissão. Cresceu, mais novo de seis irmãos, na estação da Boavista, na rotunda com o mesmo nome, no Porto, novo poiso dos Pontes. Sempre entre comboios. Os pais tinham, porém, outros planos para a prole. Foi por isso encorajado a licenciar-se: medicina, gosto antigo, média de 14 valores. Andou então de terra em terra: Barcelos, Vizela, Esposende. À prática foi buscar a maior de todas as gratificações. “Nem sempre é […]

histórias

“O BE não fará parte de um governo que não seja capaz de nacionalizar os CTT ou que alimenta as PPP”

Entrevista de Alexandra Tavares-Teles O encontro foi marcado para os jardins do Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa. Ar livre, num dia cheio de luz, ainda frio. “Que bonito e tão pouco conhecido.” Da esplanada vemos o Tejo. “Pois é, já lá vão 20 anos.” Catarina Martins tinha 25 anos em 1999, o ano da fundação do Bloco de Esquerda (BE). Revisitámos, por momentos, um Portugal muito diferente. “Um país que prendia os toxicodependentes em vez de os tratar, em que vigorava a regra entre marido mulher não metas a colher, um país muito mais conservador. Mais desatento. Não […]