Funchal

Opinião

Funchal, Capital de Confiança

"Tem um minuto, sr. Presidente?" - aborda-me com timidez uma senhora, enquanto estaciono o carro em frente aos Paços do Concelho do Funchal. Desabafa, com os olhos marejados, que o marido está sem trabalho desde que o turismo fechou, tem os filhos na escola e que a família está na iminência de ser despejada por não conseguir suportar a renda da casa sozinha, com o salário mínimo. Por entre palavras de conforto, peço-lhe serenidade e explico como o município pode ajudar naquela situação, através do Subsídio Municipal ao Arrendamento. Cinco minutos volvidos, despedimo-nos, ela com um vislumbre de esperança nos olhos e eu satisfeito por sentir que o nosso trabalho faz a diferença. Subo as escadas rabiscando apontamentos sobre este caso para remissão aos serviços, e a pensar como é notável a força das mulheres ante as dificuldades.