direitos humanos

Brunei

ONU pede ao "Lugar da Paz" que continue a não matar ninguém

Foi em 1957 que pela última vez se executou alguém no Brunei. Com base nisso, as Nações Unidas pedem ao país também conhecido como Lugar da Paz que não coloque em prática o seu novo, "cruel e inumano" Código Penal inspirado na sharia e que prevê pena de morte para adúlteras, homossexuais, violadores e quem insulte Maomé, assim como amputação para ladrões, e que é suposto entrar em vigor esta quarta-feira.