China

Luís Cunha

O dilema chinês de Biden

No futuro, o poder económico será a chave para todas as outras formas de poder" - disse Richard Nixon em 1971. O vaticínio viria a manifestar-se de modo particularmente acutilante na China, o gigante adormecido que, no ano seguinte, o presidente dos Estados Unidos acordaria para o mundo na sua histórica viagem a Pequim. A China não tardaria a trocar a exportação da revolução mundial pela expedição de bens de consumo destinados ao Ocidente, dando assim início a uma ascensão meteórica.