cancro

Saúde

Pandemia deixou quase 5 mil cancros por diagnosticar

Menos consultas, exames de diagnóstico e rastreios geraram cenário preocupante nas diversas áreas da oncologia em 2020 e 2021. Doentes chegam às consultas em estádios mais avançados da doença, o que reduz as hipóteses de tratamento, contribui para o aumento da mortalidade, e implica gastos mais elevados para o Estado. Situação tende a normalizar em 2022.

Situação em Portugal

"Se não houver estratégia e plano para o cancro será dramático"

Em Portugal, estima-se que só no primeiro ano da pandemia tenham ficado por fazer cerca de 5 mil rastreios ao cancro. A situação pode mudar os resultados alcançados até agora. Para o Núcleo do Norte da Liga Portuguesa contra o Cancro, falta estratégia e um plano de recuperação só para a oncologia. O tema vai estar hoje em debate.

Investigação científica em Portugal

À procura das diferenças entre cancros em adultos e crianças

Só em Portugal, há cerca de 400 novos casos de cancro infantil todos os anos. Compreender a progressão e a resposta à terapia do cancro pediátrico, em comparação com o adulto, é a missão que guia Adriana Sánchez Danés, que já encontrou uma ligação entre o mais comum dos cancros de pele e um dos mais malignos tumores cerebrais pediátricos