António Araújo

Péssima Companhia

Uma educação sentimental (2)

Eu não sou eu. Evelyn Waugh não era ele, porventura por perseguir o sonho de ser Charles Ryder, a personagem principal da sua obra-prima, Brideshead Revisited/Reviver o Passado em Brideshead. A história de uma família e de uma casa, e de um homem no meio de tudo aquilo. Como ele, Evelyn, ao observar o declínio e a queda dos Lygon, senhores de Madresfield Court. O patriarca dos Lygon, Lord Beauchamp, tivera uma trajectória fulgurante, abandonando o Partido Conservador, a que seu pai pertencia, para se tornar um dos mais activos representantes dos liberais na Câmara dos Lordes. Aí, interveio sobre os mais diversos assuntos, do comércio livre ao tabagismo juvenil, passando pela vivissecção dos animais ou pelo trabalho feminino. Foi governador da Nova Gales do Sul e, durante o seu mandato como chanceler da Universidade de Londres, esta tornou-se o primeiro estabelecimento de ensino superior a abrir as portas às mulheres, além de conceder apoios para que os alunos de menores recursos continuassem a estudar. Antes disso, Beauchamp fora eleito em 1895 mayor de Worcester, o primeiro nobre inglês a ser escolhido pelo voto para um cargo público desse género. Tornou-se um membro activo do London Board of Education e manteve a tradição, iniciada pelo seu pai, de realizar uma feira agrícola anual em Madresfield, a mesma que aparece no enredo de Brideshead Revisited e na série televisiva com o mesmo título.

Péssima Companhia

Uma educação sentimental (1)

No início de 1944, o capitão Evelyn Waugh chegara à meia-idade e, como sempre sucede nessas alturas da vida, enfrentava a dor corrosiva das escolhas irreversíveis, das opções sentidas como definitivas, mesmo que possam não sê-lo. "Morrera o amor entre mim e o Exército", diz o capitão Charles Ryder logo na primeira página de Brideshead Revisited. Também Waugh pressentia que, se escolhesse a carreira de oficial do Exército, iria ser um burocrata das armas até ao fim dos seus dias e não, não era essa a vida que queria viver, de modo algum. Tentou diversas alternativas, sem sucesso, mas nem sequer o chamaram para a entrevista quando se candidatou ao MI5, à época uma carreira respeitável para os homens da sua condição social com um módico de inteligência e alguma formação académica, mesmo que inacabada e sofrível.