Dois feridos graves na Maia. Fábrica está em "situação irregular"

Explosão aconteceu junto ao aeroporto Sá Carneiro. "Não há perigo para a população", diz comandante dos bombeiros

Uma explosão na rua do Chouso, na zona industrial de Vila Nova da Telha, na Maia, terá provocado pelo menos cinco feridos esta quarta-feira. Os feridos eram funcionários da empresa e duas das vítimas estão em estado grave.

A GNR afirma que foram ouvidas várias explosões no local, por volta das 11h30. As explosões resultaram num incêndio industrial que deflagrou na fábrica A.J. Monteiro, que se dedica à lavagem de cisternas, contentores e camiões. Alguns destes veículos transportam produtos químicos.

O incêndio foi dado como terminado pelas 14:30, estando em "período de vigilância", informou o comandante dos bombeiros locais, Manuel Carvalho.

Em declarações aos jornalistas, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Moreira da Maia indicou que será "mantida vigilância" e garantiu que "não existe perigo para a população nem para a fábrica vizinha".

Acrescentou ainda que existe a hipótese de tudo ter tido origem num curto-circuito.

Os dois feridos graves foram transportados para o Hospital de S. João, no Porto, assim como um dos três feridos ligeiros.

A fábrica em questão "labora há alguns anos em situação irregular", disse o vereador da proteção civil da autarquia local, acrescentando que a situação dura "há dois anos".

O fumo do incêndio pode ser visto a partir do Aeroporto Sá Carneiro, que se localiza a um curta distância.

Fonte oficial da ANA - Aeroportos de Portugal -, afirmou que, apesar da proximidade da fábrica ao aeroporto Francisco Sá Carneiro, o incêndio "não afetou em momento algum" a descolagem ou aterragem de aeronaves.

"Há uma coluna de fumo negro, mas, apesar da proximidade ao aeroporto, não afetou em momento algum a operação", disse, acrescentando que as informações disponíveis indicam que "a situação já estará a ser controlada pelos bombeiros", pelo que "não haverá degradação" das condições.

No local estão 50 operacionais dos bombeiros, apoiados por 23 viaturas, assim como todo o destacamento da GNR da Maia e equipas do INEM e proteção civil.

Em atualização

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG