Exclusivo Uma obra de arte feita de lixo para nos fazer pensar na importância de proteger os oceanos

Coletivo Skeleton Sea já apanhou cerca de cem toneladas de lixo que depois transforma em peças artísticas com o objetivo de alertar para a importância dos oceanos. A obra mais recente está em exposição do Campo Pequeno, em Lisboa.

"The Machine" é a obra de arte que a Skeleton Sea tem desde ontem em exibição no Campo Pequeno e que pode ser vista até ao próximo dia 3 de março. A peça é uma interpretação de uma criatura do universo do videojogo Horizon Forbidden West, que "levanta questões importantes como a sustentabilidade e a importância de proteger o nosso planeta, que são mensagens e valores que partilhamos na Sketelon Sea", explica ao DN Isabell Kreuzeder, um dos elementos deste coletivo.

Esta instalação foi construída a partir de mais de 500 quilos de resíduos - recolhidos nas praias, sucatas e despojos, entre outros -, mede cerca de 6x5 metros e teve quatro pessoas durante cerca de seis semanas a trabalhar nela. "Queremos que as pessoas parem e olhem realmente para o que fomos capazes de criar com tantas coisas que foram deitadas fora e consideradas como não tendo qualquer valor. O facto de termos levado isso e trazido esta criatura futurista à vida, ao dar a todo este "lixo" uma forte mensagem, faz parte do impacto que queremos ter no mundo", declara Isabell. "Se as pessoas levarem um segundo olhar para o que criámos e considerarem quantos objetos como os que estão na instalação também possuíam e deitaram fora, talvez reconsiderem como lidam com os seus resíduos e que destino têm nas nossas praias ou aterros sanitários".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG