Três vítimas dos fogos fora da lista. Ainda há dois desaparecidos

Famílias reclamam omissões na lista de mortos oficial

As famílias de três pessoas que morreram na sequência dos incêndios de outubro queixam-se de estas pessoas não estarem incluídas na lista oficial de mortos divulgada pelas autoridades. De acordo com o Jornal de Notícias, há pelo menos três pessoas nestas circunstâncias. Familiares já terão alertado Ministério Público.

Aristides Rocha, 94 anos, Joaquim Costa, 66, e Maria Oliveira, 85, são os casos identificados pelo jornal, ao qual o Ministério da Justiça disse que irá analisar todas as situações que lhe sejam comunicadas, mas que estas terão de ser solucionadas pela via judicial.

A lista oficial, com 45 nomes, inclui pessoas que foram resgatadas dos locais dos incêndios de 15 e 16 de outubro já cadáveres ou que foram encaminhas para o hospital com vida mas com lesões provocadas pelas chamas, nomeadamente queimaduras, intoxicações, traumatismos.

Nos três casos denunciados pelo JN, essas situações não foram consideradas. Aristides morreu vítima de um AVC enquanto o filho combatia as chamas que rodeavam a casa; Joaquim Costa sofreu um ataque cardíaco enquanto se refugiava do fogo; Maria Oliveira terá caído quando se tentava proteger.

Há ainda duas pessoas desaparecidas, recorda o JN: Rui Costa, 49 anos, de Folgosinho da Serra, Gouveia; e Libânio Cardoso, de 70 anos, do Troviscal, Sertã.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG