Trânsito cortado no IC2 por falta de segurança

Falta de estabilidade do talude localizado junto ao ramo de ligação do IC2 à antiga EN1 no nó de Rio Maior na base da decisão

A Infraestruturas de Portugal (IP) procedeu hoje ao corte do trânsito no nó de Rio Maior do Itinerário Complementar (IC) 2, por não estarem garantidas as condições de segurança automóvel, anunciou a empresa.

"Por falta de estabilidade do talude localizado junto ao ramo de ligação do IC2 à antiga EN1 no nó de Rio Maior, foi decidido proibir a circulação automóvel neste local, de modo a garantir as condições de segurança", refere a IP, em comunicado.

Segundo empresa, a situação, que estava a ser monitorizada, "agravou-se nos últimos tempos devido às condições climatéricas adversas", com as fortes chuvadas.

"Esta decisão [corte de tráfego] decorre do processo de monitorização que a IP tem realizado ao longo dos últimos meses. Trata-se de um talude criado por uma exploração de areia, na proximidade do ramo, no qual se tem vindo a verificar desprendimentos de solos ao longo do tempo fazendo aproximar a crista do talude da faixa de rodagem", descreve a IP.

O corte de tráfego no nó de Rio Maior foi efetuado ao quilómetro 68,8 do IC2. A IP refere que o percurso alternativo de acesso à cidade de Rio Maior, a partir do IC2, será efetuado pelo nó de Asseiceira, no sentido Alcoentre/Rio Maior, e pelo nó do Alto da Serra, para percursos no sentido Leiria/Rio Maior.

Exclusivos

Premium

Vida e Futuro

Formar médicos no privado? Nem a Católica passa no exame

Abertura de um novo curso de Medicina numa instituição superior privada volta a ser chumbada, mantendo o ensino restrito a sete universidades públicas que neste ano abriram 1441 vagas. O país está a formar médicos suficientes ou o número tem de aumentar? Ordem diz que não há falta de médicos, governo sustenta que "há necessidade de formação de um maior número" de profissionais.