Terá o Kepler encontrado uma megaestrutura extraterrestre?

Investigadores não têm explicação para uma estranha diminuição da luz de uma estrela

A estrela chama-se KIC 8462852 e pode até não ser fácil de memorizar, mas a verdade é que já se tornou no mais recente mistério no espaço e que muito está a dar que falar entre astrónomos e, claro, na internet. Uma estranha diminuição na intensidade da sua luz - muito maior do que o normalmente verificado - está a deixar o mundo científico curioso. Há falta de explicações que se podem considerar mais lógicas, há já quem fale na possibilidade de uma megaestrutura extraterrestre estar na origem deste mistério.

A KIC 8462852 está a 1500 anos-luz da Terra e foi monitorizada 1600 dias pelo telescópio Kepler, da NASA. A missão, que começou em 2009, tem como objetivo encontrar novos planetas (e tem tido sucesso) procurando por diferenças na luz das estrelas, pois quando um planeta passa à frente delas, a luz escurece, normalmente entre um a dois por cento. Mas o que aconteceu com a KIC 8462852 foi bem diferente.

A luz desta estrela chegou a enfraquecer 20 por cento e para tal acontecer o objeto que passou à sua frente tem de ter quase metade do diâmetro da estrela, segundo explica o The Guardian. Como termo de comparação, é dado o tamanho de Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar: tem um décimo do diâmetro do Sol. Tendo em conta que as estimativas apontam que a KIC 8462852 seja 1,5 vezes maior do que o Sol, o que a tapou terá de ter um tamanho considerável.

Parece que é algo que se espera que seja construído por uma civilização extraterrestre

Por isso mesmo, foi excluída a possibilidade de ser um planeta que provocou a diminuição da intensidade da luz. E para reforçar essa teoria, o enfraquecer da luz aconteceu num espaço de tempo aleatório, ou seja, a primeira vez foi no dia 800 da missão - diminuiu cerca de 15 por cento - e depois no dia 1500 - chegou aos 20 por cento.

Apesar da hipótese de uma mega estrutura extraterrestre ser a causa até parecer estar em cima da mesa, não significa que não se procure uma razão mais lógica. Tabetha Boyajian, da Universidade de Yale, lidera as investigações deste mistério e aponta que a causa natural poderá ser o desfazer de um cometa ao passar junto à estrela. O problema é que as mesmas nuvens que podem ter tapado a luz da estrela, também deveriam produzir uma radiação que seria detetada deste a Terra. O que não aconteceu.

"Nunca vimos nada como esta estrela. Foi muito estranho. Pensámos que seria dados errados ou movimento da nave, mas confirmámos que estava tudo correto", salientou Tabetha Boyajian ao site The Atlantic. Estão a ser estudadas mais possíveis explicações, mas o astrónomo Jason Wright, da Universidade de Penn State avança com a teoria extraterrestre.

"Os extraterrestres devem ser sempre a última hipótese a considerar, mas parece que é algo que se espera que seja construído por uma civilização extraterrestre", referiu Wright ao The Atlantic.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.