TAP divulga horários "a toda a hora" entre Porto e Lisboa

A "ponte aérea" a ligar as duas maiores cidades do país deve arrancar na Páscoa

A TAP divulgou hoje os horários da "ponte aérea" entre Lisboa e Porto a arrancar na Páscoa, 27 de março, com voos "a toda a hora", incluindo a ligação noturna com partida às 22:25 da capital.

Na terça-feira, a Câmara do Porto acusou a TAP de ter decidido "discretamente" descontinuar o voo noturno entre Lisboa e Porto, que servia de ligação para os passageiros que vinham de voos de médio curso, a partir da Europa.

Em resposta, a transportadora aérea contrariou as informações e garantiu a manutenção desta ligação, com partida às 22:45 de Lisboa, durante o horário de verão. Hoje, em comunicado, este horário é corrigido e o último voo entre a capital e o Porto sai da Portela às 22:25.

Segundo a TAP, na ligação "a toda a hora" entre as duas cidades será utilizada "uma frota composta por aviões ATR72 da TAP Express (que substitui a PGA), bem como Embraer190 e aviões Airbus da TAP da família A320, sempre que a procura o justificar". A frota ATR "será composta por aviões novos ou, no máximo, com cerca de um ano de antiguidade", acrescenta.

A "ponte aérea" terá partidas de Lisboa às 06:00, 07:00, 08:00, 09:00, 10:00, 11:00, 12:00, 13:00, 14:00, 15:00, 16:00, 17:00, 17:45, 18:00, 19:00, 20:00, 21:00 e 22:25. Os aviões saem do Porto às 05:30, 06:30, 07:30, 08:30, 09:30, 10:30, 11:30, 12:30, 12:50 (às quintas e domingos), 13:30, 14:30, 14:50 (às 2ªs, 3ªs e 4ªs), 15:30, 16:30, 17:30, 18:30, 19:30, 20:15 (exceto quintas e domingos), 20:30 e 21:30.

"Desta forma, a TAP oferece aos seus passageiros um produto de qualidade equivalente ao existente em vários países (exemplos: Madrid/Barcelona, Rio/S. Paulo e Roma/Milão) ligando as duas principais cidades", salienta. A empresa assegura que estes horários "já estão integralmente disponíveis no sistema de reservas".

O presidente da Câmara do Porto tem criticado a estratégia da TAP para o Porto, defendendo a necessidade de o Governo dar ordens à transportadora aérea para restabelecer as ligações internacionais que a companhia anunciou querer suspender a partir do aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Em conferência de imprensa realizada segunda-feira, Rui Moreira defendeu que, com o Estado a deter 50% da transportadora, a TAP deve prestar "um serviço público" e que "o serviço público deve ser prestado em todo o território".

O primeiro-ministro, António Costa, disse no sábado que o acordo para a reversão da privatização da TAP deixa o Governo com margem para intervir sobre a manutenção de uma base no Porto.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG