Surto de Covid-19 em navio da Marinha. Comandante é uma das infetadas

Metade da tripulação do navio patrulha costeiro NRP Douro, que está a apoiar a Proteção Civil da Madeira nas operações de busca e salvamento, testou positivo.

As autoridades de saúde da Madeira estão a tentar determinar a origem do surto de covid-19 que, até agora, já infetou 14 dos 27 militares que constituem a guarnição do navio patrulha costeiro da Marinha NRP Douro, em missão naquela Região Autónoma.

Segundo esclareceu ao DN o comandante do Porto do Funchal, Guerreiro Cardoso, após sintomas de falta de paladar por parte de uma militar, a enfermeira do navio, no passado dia cinco de agosto (quinta-feira), e de ter testado positivo num teste rápido antigénio, toda a tripulação foi submetida a testes PCR, os quais revelaram 14 casos positivos e 12 negativos.

Entre os militares que testaram positivo está a comandante do navio, a 1º tenente Diana Azevedo, 30 anos, que está à frente do NRP Douro desde 24 de junho último. A oficial apresentou também sintomas ligeiros, semelhantes aos de uma constipação.

Todos os militares com teste positivo foram transferidos para uma unidade hoteleira do Funchal e os restantes mantêm-se a bordo do navio, cumprindo isolamento profilático.

Todos os militares estariam já vacinados (pelo menos é essa a determinação da Marinha) e por isso o facto da propagação ter sido tão rápida está a suscitar algumas questões às autoridades de saúde. O DN tentou contactar, sem sucesso, o delegado de Saúde do Funchal, Maurício Melim, para obter mais esclarecimentos.

Esta guarnição do patrulha costeiro estava a cumprir no Funchal uma missão de três meses e meio. O NRP Douro está preparado para apoiar a Proteção Civil em missões de busca e salvamento, mas também de fiscalização de atividades pesqueiras.

Com metade da guarnição infetada e outra metade em isolamento, o navio ficará agora impedido de cumprir estas missões.

Para o substituir, confirmou ao DN Guerreiro Cardoso, foi enviado o navio patrulha oceânico NRP Sines (de dimensão significativamente superior e com uma tripulação de 42 militares) , atualmente em Portimão, irá reforçar o dispositivo naval padrão na Zona Marítima da Madeira, cumprindo todas as missões previstas.​ O NRP Sines é também comandado por uma mulher, a capitão-tenente Ester Lopes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG