Stephen Hawking: Descobriu-se nova forma de olhar o Universo

A capacidade de detetar as ondas gravitacionais "tem o potencial de revolucionar a Astronomia"

O físico britânico Stephen Hawking afirmou hoje que a deteção das ondas gravitacionais, a última previsão ainda por comprovar das teorias do físico alemão Albert Einstein, abre a porta a "uma nova forma de olhar o Universo".

"A capacidade de as detetar tem o potencial de revolucionar a Astronomia", disse à estação televisiva britânica BBC o físico teórico de 74 anos, especialista em buracos negros. A deteção destas ondas, os sinais que grandes cataclismos deixam no Universo, constitui também "a primeira prova de um sistema binário de buracos negros e a primeira observação de buracos negros fundindo-se", sublinhou Hawking.

"Além de provar a Teoria da Relatividade Geral, podemos esperar ver buracos negros ao longo da história do Universo. Poderemos inclusive ver os vestígios do Universo primordial, durante o 'Big Bang'", graças às ondas gravitacionais, salientou o físico.

A investigadora Sheila Rowan, da Universidade de Glasgow, que participou no projeto do Observatório Norte-Americano de Interferometria Laser (LIGO) que detetou as ondas, descreveu o seu trabalho como "uma viagem fascinante".

Os cientistas do LIGO anunciaram hoje numa grande conferência de imprensa em Washington que as ondas gravitacionais cuja existência Albert Einstein previu há um século na sua Teoria da Relatividade Geral foram pela primeira vez detetadas de forma direta a 14 de setembro do ano passado.

O anúncio pôs fim a meses de rumores e grande expectativa entre a comunidade científica perante uma descoberta que abre a porta à redescoberta do Universo, desta vez sem necessidade da luz.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG