Sony aposta nos jogos, Microsoft em novo hardware

A guerra das consolas está de volta com uma nova entrada no mercado. Na abertura da maior feira mundial de videojogos, E3, as três grandes da indústria apostam em estratégias diferentes.

A Microsoft revelou a sua nova consola Xbox One X, enquanto a Sony dedicou toda a conferência de imprensa a mostrar jogos exclusivos e os blockbusters mais esperados. A Nintendo, como já é habitual, não faz apresentação ao vivo e optou por streaming para revelar as suas novidades. Em alta depois do lançamento bem sucedido da Switch, a empresa revelou o próximo grande jogo para a consola: Super Mario Odyssey, que sai a 27 de outubro. Outras novidades são o Metroid Prime 4, Rocket League e um novo jogo Pokémon, todos nativos para a plataforma.

A E3, que decorre esta semana em Los Angeles, representa uma indústria multimilionária que este ano ultrapassa os 100 mil milhões de euros de receitas, entre hardware, software e serviços. A Sony comanda o mercado mundial de consolas com 57% de quota, garantida pela PlayStation 4 e PlayStation 4 Pro (lançada em novembro passado), mas a Nintendo está a registar tremendo sucesso com a sua nova geração Switch e a Microsoft prepara-se para pôr a Xbox One X no mercado a 7 de novembro. Tudo a postos para uma segunda metade do ano mais empolgante.

"O futuro está aqui, com a PlayStation 4 Pro e a PlayStation VR", declarou o CEO da Sony Interactive Entertainment, Shawn Layden, na conferência da E3. "Os nossos estúdios vão trazer-vos os exclusivos que vocês querem", afirmou, uma referência nada subtil ao facto de a Microsoft praticamente não ter apresentado exclusivos para a nova Xbox One X. Layden disse que a conferência da Sony este ano pretendeu "reconhecer a arte de jogar", e por isso as suas intervenções foram muito curtas e sem quaisquer notícias. A Sony não apresentou acessórios, redução de preços ou versões novas das suas consolas: foi uma hora inteira a mostrar os jogos que aí vêm, com uma produção soberba que incluiu músicos ao vivo, cenários rotativos, bolas de sabão e pirotecnia.

Entre os títulos mais aplaudidos na apresentação da PlayStation contam-se "Uncharted: The Lost Legacy", "Horizon Zero Dawn: The Frozen Wilds", "Days Gone", "Marvel vs Capcom", "God of War" e "Spider-Man." A marca apresentou ainda 6 novos jogos de realidade virtual, "StarChild", "The Inpatient", "Final Fantasy: Monster of the Deep", "Bravo Team", "The Elder Scrolls V: Skyrim" e "Moss."

"Todos os anos, continuamos a quebrar barreiras da imaginação e tecnologia", disse Shawn Layden. "As nossas consolas são mais poderosas que nunca", continuou, "mas continua tudo a centrar-se nos jogos."

A estratégia é diferente da que foi projetada pela Microsoft, apesar de não parecer. É que a apresentação da Xbox conteve nada menos que 42 jogos, 22 dos quais com algum nível de exclusividade para a consola e para computadores com Windows 10. No entanto, esta exclusividade é quase toda temporal - estreia na plataforma da Microsoft e depois chega às outras. Sem títulos poderosos para defender o seu território, a marca pretende mostrar aos fãs que nenhuma outra consola tem a potência e qualidade necessárias para transformar qualquer jogo numa experiência superior. A Xbox One X é a "consola mais poderosa de sempre", conforme salientou várias vezes o diretor da unidade Phil Spencer, na conferência da empresa. A placa gráfica da máquina tem uma capacidade de processamento de 6 teraflops, o que é bastante superior à PlayStation 4 Pro, a correr a 1172 Ghz, com 12 gigas de memória GDDR5, 1 terabyte de armazenamento e leitor Blu-ray Ultra HD. Oferece "verdadeiro 4K", segundo disse o diretor de engenharia de software da Xbox, Kareem Choudhry, e melhora o aspeto de qualquer jogo mesmo sem televisor de ultra resolução. O preço será de 499 dólares, mais 100 que a PlayStation 4 Pro e mais 200 que a Nintendo Switch (que em Portugal custa 320 euros).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG