Será que o polvo veio de outro planeta? Há cientistas que admitem que sim

Documento feito por cientistas defende hipótese e quer levantar a discussão em relação à panspermia

A evolução do polvo como espécie ainda não está totalmente explicada. A ciência diz-nos que descende de nautiloides, mas o facto de ser um animal de aparência bizarra, inteligente e que muda de forma e de cor para se camuflar faz com que se lhe atribuam origens extraterrestres.

Agora um grupo de cientistas juntou-se para dar corpo a essa teoria, publicando um artigo em que chega a essa conclusão. O trabalho juntou 33 cientistas de todo o mundo, incluindo o imunologista molecular Edward Steele e a astrobiólogo Chandra Wickramasinghe, para pensar na origem do polvo.

Admitindo que a sua teoria "não corresponde ao paradigma dominante", os especialistas publicaram o seu trabalho na edição de março do jornal Progresso em Biofísica e Biologia Molecular e podem com a suas declarações lançar o debate sobre a evolução do polvo.

A teoria vigente é de que o polvo evoluiu há 500 milhões de anos. Mas segundo estes especialistas há evoluções que se distanciam muito do seu antecessor. O que faz com que escrevam: "É plausível então sugerir que os polvos parecem ter viajado de um 'futuro' distante em termos de evolução terrestre ou mais realisticamente vêm do espaço."

Esta última hipótese encaixa na teoria da panspermia. A teoria defende que "sementes de vida" estão em todo o lado no universo, incluindo no espaço e que a vida na Terra pode ter surgido dessas sementes que chegaram preservadas, através de cometas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG