"Se não fosse aqui em Portugal, gostaria de viver na Austrália"

O famoso questionário Proust respondido pelo CEO da Ravasqueira, Pedro Pereira Gonçalves

A sua virtude preferida?
Acreditar que o que parece improvável pode ser possível.

A qualidade que mais aprecia num homem?
Tolerância.

A qualidade que mais aprecia numa mulher?
Caráter e sensibilidade.

O que aprecia mais nos seus amigos?
Cumplicidade e honestidade.

O seu principal defeito?
Impaciência.

A sua ocupação preferida?
Estar em família, surfar e ler.

Qual é a sua ideia de "felicidade perfeita"?
Estar numa vinha perto de uma praia com ótimo surf, família, amigos e partilhar um bom vinho branco.

Um desgosto?
Nenhum, procuro sempre encarar as adversidades e os momentos difíceis da vida como aprendizagens e etapas de superação.

O que é que gostaria de ser?
Gosto muito de ser quem sou e de, por ser quem sou, do que faço.

Em que país gostaria de viver?
Se não fosse aqui em Portugal, seria na Austrália.

A cor preferida?
Verde.

A flor de que gosta?
Lavanda.

O pássaro que prefere?
Guarda-rios.

O autor preferido em prosa?
Os livros de Sophia de Mello Breyner, que tenho relido com as minhas filhas.

Poetas preferidos?
Fernando Pessoa.

O seu herói da ficção?
D"Artagnan.

Heroínas favoritas na ficção?
Nanny McPhee.

Os heróis da vida real?
Vários, mas sobretudo quem luta pelo bem comum global.

As heroínas históricas?
Rainha Vitória, Joana D"arc, Malala Yousafzai, Kate Sheppard.

Os pintores preferidos?
Michelangelo, Rembrandt e Monet.

Compositores preferidos?
Ennio Morricone, James Horner, John Williams e Hans Zimmer.

Os seus nomes preferidos?
Inês, Carmo, Carlota e Maria.

O que detesta acima de tudo?
Esperar.

A personagem histórica que mais despreza?
Todos aqueles que impactaram negativamente a vida de milhares de pessoas e gerações.

O feito militar que mais admira?
O estratagema do "Cavalo de Troia".

O dom da natureza que gostaria de ter?
Respirar debaixo de água (ou pelo menos ter a capacidade de suster a respiração por longos períodos de tempo).

Como gostaria de morrer?
Em paz e feliz.

Estado de espírito atual?
Sereno, por tudo aquilo que fiz até hoje, mas inconformado por tudo aquilo que ainda quero fazer.

Os erros que lhe inspiram maior indulgência?
Os imponderáveis, aqueles que acontecem por circunstâncias alheias ao conhecimento, à inteligência e à racionalidade.

A sua divisa?

​​​​​​"We are standing on a burning platform and we must decide how we are going to change our behaviour."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG