São João com sardinha a metade do preço de Lisboa

Cidade vive hoje a noite mais iluminada do ano, com a rainha da festa a custar até 1,50 euros, longe dos 2,50 pedidos no Santo António

"Pode murchar a cidreira/ Pode cair o balão/ Pode morrer a fogueira/ Nunca morre o São João!" Este é o mote da folia que contagia o Porto esta noite, estendendo-se até amanhã com a tradição a celebrar o nascimento de São João Batista, um dos mais carismáticos santos populares. A rima salta de um dos manjericos que Conceição Dias vende na banca na Rua Campo dos Mártires da Pátria, em frente à antiga Cadeia da Relação e a poucos metros da Torre dos Clérigos. Há vasos "a 2,50 euros, a 4, a 5 e a 7 euros, conforme o tamanho". Mas a rainha da noite será a sardinha, que pode variar entre os 1,50 e os 1,20 euros, cerca de metade do preço pedido há menos de duas semanas em Lisboa, durante as festas de Santo António. O DN foi para a rua antecipar a festividade e sentiu que os tempos mudaram.

Com antecedência, foi difícil encontrar vendedoras de manjericos, "pois as licenças estão muito caras e é preciso ir a concurso", justificou Conceição que também tem balões de ar quente "a 2,50 euros" para lançar ao ar, além dos obrigatórios martelos de plásticos "a partir de 1,50 euros". Estrela da festa, a sardinha perfuma os locais mais emblemáticos de um programa diverso e que deve ser cumprido a pé. Na Alameda Fontainhas ainda não há filas para saborear o pitéu mas, no restaurante Romeiro Lavrador, a azáfama faz adivinhar enchente. Para os locais, a dona Joaquina Queirós é "o manjerico das Fontainhas" e a prova é que a própria já perdeu a conta aos anos que por lá passa. "Vim fazer o São João das Fontainhas tinha 9 anos, com os meus pais. O restaurante que tenho hoje era dos meus sogros", recordou, enquanto colocava o pescado "do nosso mar" no barco de madeira que recebe os clientes. "A sardinha é um espetáculo, mas o bacalhau com batata a murro também sai bem", promoveu Joaquina. Entre as sugestões, também "há sardinha congelada a 1,20 euros a unidade, mas a nossa, fresquinha, está a 1,50 euros, mas o cliente não se importa de dar mais trinta cêntimos para comer uma sardinha à maneira e com o verdadeiro sabor". Em Lisboa, durante o Santo António, esse era o preço mínimo pedido pela iguaria que reina nas festas populares, sendo que em alguns bairros a sardinha foi vendida a 2,50 euros.

No Romeiro Lavrador "não servimos em prato nem em doses, pois havia pessoas que deixavam uma ou duas mas pagavam na mesma. Assim, servimos à unidade e cada um só paga o que come", anotou a responsável, acrescentando que "os acompanhamentos são pagos à parte". A música é da Rádio Festival e, a par do bailarico, vale a pena espreitar a cascata lá instalada.

Na Rotunda da Boavista, outro ponto nevrálgico da celebração, a sardinha serve-se mais barata dez cêntimos no restaurante Duarte e, segundo Maria Duarte, "tem melhorado de dia para dia". A filha do proprietário só deseja que o valor do cabaz não obrigue a subir o preço da unidade, sendo que "a dose com dez sardinhas e batata fica por 17 euros". Com tenda montada desde 3 de junho, tem atendido "muitos turistas o que, tendo em conta a situação do país, é muito positivo".

À volta, a oferta satisfaz os mais pequenos, com carrosséis, guloseimas e a tão afamada roda gigante com 40 cabinas e capacidade para 160 pessoas. Mónica Silva andou na atração com os filhos, Rodrigo, de 11 anos, e Afonso, de 7. E, apesar da apreensão inicial do mais novo, todos "adoraram". O momento serviu de aperitivo ao serão de hoje que "será passado na rua, na Ribeira do Porto". "Vamos jantar lá e ficar para ver o fogo", antecipou Mónica.

No Parque de Recolha de São Roque, em Campanhã, há outra roda que veio diretamente do festival de música Rock in Rio para um lugar da Invicta com muita música popular no cardápio. Com roupa e calçado confortáveis, o percurso pode estender-se ainda aos convívios animados em Miragaia, no Largo do Calém (Lordelo do Ouro), no Largo Amor de Perdição (Cordoaria) ou ao Passeio Alegre, na Foz do Douro. Mais além, os namoricos estendem-se no areal e, em outras zonas, muitos procuram o tão desejado chocolate quente num qualquer tasco aberto e à disposição.

Fogo com presenças de Estado

O São João brinda ainda Vila Nova de Gaia, com o tradicional espetáculo piromusical a unir as duas margens, atraindo multidões também ao cais gaiense. Ponto alto das festividades, sob a Ponte Luiz I, o espetáculo de 16 minutos está a cargo da Luso Pirotecnia e custou 54 900 euros. "As Lendas do Rock vão ritmar uma viagem por alguns dos mais famosos temas do rock mundial e português", lê-se no comunicado da Porto Lazer. AC/DC, Pink Floyd, Scorpions, Gun"s N"Roses, Rolling Stones e Queen formam o alinhamento, com o tema A minha casinha dos portugueses Xutos & Pontapés a fechar, lançando os dados para o concerto da banda que se seguirá na Avenida dos Aliados, a partir da uma da manhã.

Em local privilegiado para ver o fogo-de-artifício, no Seminário Maior do Porto, a convite do bispo António Francisco dos Santos, estarão o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, António Costa, ao lado do anfitrião, o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG