Inédito: Rio de glaciar desapareceu em quatro dias devido ao aquecimento global

Cientistas dizem nunca ter encontrado um acontecimento do género

Desapareceu em quatro dias o rio que corria do glaciar Kaskawulsh, no Canadá. O fluxo do rio passou totalmente para outro nesse curto período, um fenómeno nunca até hoje visto pelos cientistas, consequência do aquecimento global e que alterou profundamente a paisagem da zona.

O leito do rio Slims chegava aos 150 metros no ponto mais largo, segundo o The Guardian. Durante centenas de anos, o rio transportou água derretida no glaciar Kaskawulsh, um dos maiores do Canadá, em direção ao norte, ao mar de Bering.

Na primavera de 2016, no entanto, a quantidade de água que derreteu do glaciar foi tão grande que esta acabou por correr para um segundo leito: o rio Alsek, a centenas de quilómetros de distância e que vai dar ao Golfo do Alasca.

Os cientistas afirmam que a probabilidade deste acontecimento ter ocorrido devido às alterações climáticas naturais é de 0,5%. "Logo há 99.5% [de probabilidades] de ter ocorrido devido ao aquecimento causado pela era industrial", explicou James Best, geólogo da Universidade de Illinois.

Medições do fluxo dos rios mostram que a mudança, a primeira do género alguma vez documentada, ocorreu entre 26 e 29 de maio. As conclusões da equipa de cientistas forma publicadas esta segunda-feira na revista Nature.

As alterações foram detetadas por uma equipa de cientistas que estuda há muitos anos o recuo dos glaciares na zona.

"Fomos para área para continuarmos a medir o rio Slim e encontramos o leito do rio mais ou menos seco", contou Best. "O delta onde navegávamos de barco era agora uma tempestade de areia. Em termos de paisagem a mudança foi incrivelmente dramática".

A equipa usou helicópteros e drones para perceber o que se passava. "Descobrimos que toda a água que vinha da parte da frente do glaciar, ao invés de se dividir em dois rios, estava a ir só para um", explicou Best.

Enquanto nos últimos anos os rios Slims e Alsek eram equiparáveis em termos de tamanho, a partir de 2016 o Alsek tornou-se 60 a 70 vezes maior que o rio Slims.

O caso de o fluxo de um rio ser totalmente desviado para outro nunca tinha sido observado pelos cientistas. Geólogos sabem que casos semelhantes ocorreram no passado e é a primeira vez que podem documentar e acompanhar um destes fenómenos.

"Que nós saibamos, nunca ninguém documentou este acontecimento no nosso tempo de vida", disse Dan Shugar, geocientista da Universidade de Washington Tacoma.

O paleontólogo Lonnie Thompson, que não esteve envolvido nas investigações, prevê, com base nestas conclusões, que fenómenos de desvio de rios se tornem mais comuns à medidas que os glaciares diminuem.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG