Rinoceronte branco do norte morre no zoo. Restam três no mundo

A fêmea tinha 41 anos e deixa a sua espécie à beira da extinção

Uma fêmea de rinoceronte branco do norte, com 41 anos, morreu num jardim zoológico dos EUA, reduzindo para três o número de exemplares desta espécie no planeta, todos em África, foi hoje anunciado.

A morte de Nola, que recebia há mais de uma semana cuidados médicos devido a uma infeção bacteriana e a outros problemas de saúde, foi hoje confirmada por porta-vozes do jardim zoológico de San Diego.

Nas últimas 24 horas, o estado de saúde do animal piorou e os veterinários tiveram de o matar recorrendo à eutanásia, refere um comunicado do zoo.

Nola chegou ao jardim zoológico de San Diego, em 1989, proveniente da República Checa, e era um dos bichos mais acarinhados pelos visitantes.

Os restantes exemplares de rinoceronte branco do norte - duas fêmeas e um macho - vivem numa reserva do Quénia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG