Promover actividade física para reduzir morte precoce

Cerca de 20% de mortes precoces podem ser evitadas com exercício físico. Passar a mensagem é o objetivo da campanha "Qual é a sua Atividade Física?"

Todos os anos cerca de 21 mil portugueses morrem antes de completar 70 anos (são 20% de todas as mortes anuais no país) por causas exclusivamente ligadas ao estilo de vida, ao comportamento alimentar desequilibrado e à inatividade física, e a Direção-geral de Saúde (DGS) quer cortar drasticamente este número.

O Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física (PNPAF), que a DGS criou há um ano, é um dos instrumentos para chegar a esse objetivo, mas não é o único. Vai ser criada também uma comissão nacional intersetorial e interministerial que até ao final do ano terá de elaborar um plano para generalizar a atividade física em Portugal - "o despacho poderá ser assinado, talvez, dentro de dias, ou de semanas", adianta o coordenador do PNPAF, Pedro Teixeira.

A meta é crescer pelo menos um por cento ao ano nos indicadores nacionais da atividade física da população e chegar em 2025 a uma redução de 10% da inatividade física por parte dos portugueses.

Para já, estamos longe disso ainda. "Ainda não estamos a conseguir vencer a barreira do sedentarismo, ainda não conseguimos inverter essa tendência", confirma Pedro Teixeira. Mas, garante, " este não é um problema português, é um problema mundial, e em Portugal há bons exemplos e boas iniciativas, que precisamos agora de generalizar".

Um desses bons exemplos, na opinião de Pedro Teixeira, é o programa Eurofit, um projeto financiado pela União Europeia, em participam universidades e clubes desportivos e que já foi testado em Portugal pelo Benfica, Sporting e Futebol Clube do Porto. Nele os clubes proporcionam aos seus adeptos a possibilidade de alterar os seus estilos de vida, permitindo-lhes nas suas instalações, e com o seu pessoal técnico, a participação em sessões de exercício físico para a prática do futebol.

A disseminação do programa no país, através da participação de mais de clubes de futebol, foi por isso objeto de um protocolo que ontem foi assinado entre a Direção-Geral de Saúde, a Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa e a Federação Portuguesa de Futebol, numa sessão que decorreu na Cidade do Futebol, com a presença dos ministros da Saúde e da Educação, Adalberto Campos Fernandes e Tiago Brandão Rodrigues, e do diretor-geral de Saúde, Francisco George.

Além da assinatura do protocolo para o alargamento do Eurofit a todos os clubes "que quiserem participar, e tenham condições para isso", como explica Pedro Teixeira, que é igualmente o investigador principal do programa em Portugal, a DGS lançou, ontem também, a campanha "Qual é a sua atividade física?", na qual participam várias figuras públicas, ligadas ou não ao futebol, e cujo objetivo é incentivar a população à prática do exercício físico.

No vídeo de apresentação mostrado na sessão, que decorreu na Cidade do Futebol, surgem personalidades ligadas ao futebol, como Fernando Santos, Pauleta ou João Pinto, e outras como a jornalista Clara de Sousa.

A ideia é passar uma mensagem simples e muito clara: a de que a atividade física regular - hora e meia semanal de esforço moderado a vigoroso, segundo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) - faz bem à saúde física, mental e emocional e previne doenças crónicas em idades mais avançadas.

Os estudos mostram, por exemplo, que a prática continuada de atividade física desde a infância e juventude - "bastam 10 minutos de esforço vigoroso diariamente", explicou Justin Varney, da Public Healht England - reduzem em 30% o risco de demência, em 35% as doenças crónicas ou ainda em 30% todas as causas de morte. No entanto, "a pandemia do sedentarismo" ainda não dá mostras de abrandamento. Como o mesmo Justin Varney referiu, a inatividade física, que se aplica a cerca de 70% da população mundial, continua a marcar presença no Top Ten das das causas de morte.

Portugal não é exceção, mas o esforço aí está, para tentar dar a volta ao problema. Andar de bicicleta, fazer corrida ou marcha, ir ao ginásio, praticar modalidades desportivas, dançar, praticar surf, ou simplesmente fazer 10 minutos de exercício físico em casa todos os dias, as hipóteses são muitas. É preciso é começar.

Exclusivos