"Se me acontecer qualquer coisa, continuem a lutar". O apelo da mãe de Rui Pedro

Filomena Teixeira pediu que o filho, desaparecido em 1998, seja lembrado até a verdade ser descoberta

A mãe de Rui Pedro pediu numa carta aberta ao público que não se esqueçam nem desistam do filho dela, que desapareceu há mais de 19 anos em Lousada. Filomena Teixeira falou do "desespero de saudade" que sente e que só as mães poderão compreender.

Rui Pedro desapareceu a 4 de março de 1998 em Lousada. Tinha 11 anos.

Num texto publicado no Facebook do jornal local "Terras do Vale do Sousa", Filomena descreveu a "revolta, desespero" e a dor infinita que sente. "Não posso deixar de falar cada vez mais nele, tudo me lembra dele", escreveu Filomena.

A última pessoa a ver Rui Pedro, Afonso Dias, foi condenado a três anos e meio de prisão por rapto, mas o paradeiro do menino nunca foi descoberto. Afonso Dias entregou-se para começar a cumprir a pena em março de 2015 e saiu em liberdade em março deste ano, após cumprir dois terços da pena.

"Não se esqueçam dele. Por favor! Prometam-me que não se esquecem dele. E se me acontecer qualquer coisa, continuem a lutar por saber o que lhe aconteceu", escreveu Filomena Teixeira. "É já tudo o que me resta!"

Filomena tem sido o principal rosto da luta pela descoberta da verdade sobre o que aconteceu a Rui Pedro. Há três anos, no dia em que o filho faria 27 anos, Filomena gravou um vídeo em que voltava a pedir ajuda ao público para encontrar Rui Pedro e garantia que nunca vai desistir.

Rui Pedro teria agora 30 anos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG