Prisão preventiva para suspeito de dois crimes de fogo florestal em Ourém

O suspeito, de 45 anos, tem "antecedentes criminais e policiais pela prática do mesmo tipo de crime", informou a PJ.

O homem suspeito de dois crimes de incêndio florestal, no concelho de Ourém (Santarém), vai aguardar julgamento em prisão preventiva, disse esta terça-feira à Lusa fonte da Polícia Judiciária (PJ).

O arguido foi hoje presente a primeiro interrogatório judicial, tendo o juiz de instrução criminal determinado a medida de coação mais gravosa.

Na segunda-feira, a PJ anunciou a detenção do arguido, de 45 anos, explicando que os factos ocorreram na União de Freguesias da Freixianda, Ribeira do Fárrio e Formigais, "local onde deflagraram dois focos de incêndio".

"O detido foi visto a abandonar o local dos factos e perentoriamente identificado por testemunhas, imediatamente antes do início dos focos de incêndio, sendo que o mesmo possui antecedentes criminais e policiais pela prática do mesmo tipo de crime", adiantou a PJ, em comunicado.

A detenção, em inquérito dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Santarém, teve a colaboração da Guarda Nacional Republicana de Ourém.

Fonte da PJ disse na ocasião à Lusa que os dois focos de incêndio "terão sido ateados com recurso a chama direta" e acrescentou que o suspeito mora na zona onde estes eclodiram.

GNR detém suspeito de fogo posto no concelho de Montemor-o-Novo

Um homem, de 54 anos, suspeito de atear fogo, provocando esta terça-feira um incêndio na zona de Santiago do Escoural, no concelho de Montemor-o-Novo (Évora), foi detido pela GNR, disse à Lusa fonte daquela força de segurança.

Segundo a mesma fonte, "um popular viu o homem a atear fogo", na zona de Santiago do Escoural, segurou o suspeito e chamou a GNR, que deslocou uma patrulha ao local, tendo efetuado a detenção.

O suspeito vai ser presente, na quarta-feira, ao Tribunal Judicial de Montemor-o-Novo, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de eventuais medidas de coação, adiantou a fonte da GNR.

Contactado pela Lusa, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora explicou que foi dado o alerta às 18:56, para um incêndio junto aquela localidade do concelho de Montemor-o-Novo.

O fogo, que consumiu pasto e olival, foi dado como dominado, às 19:32, adiantou a fonte do CDOS.

O combate às chamas envolveu 44 operacionais, sobretudo bombeiros das corporações de Montemor-o-Novo, Viana do Alentejo e Évora, apoiados por 13 veículos e um meio aéreo.

Notícias atualizada às 23:31

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG