Presidente da Câmara da Guarda fala em fogo "completamente descontrolado"

Situação no terreno complica-se e autarcas pedem reforço de meios depois de reacendimentos durante a tarde desta segunda-feira.

O presidente da Câmara da Guarda, Sérgio Costa, disse esta segunda-feira que o incêndio que reativou na serra da Estrela está "completamente descontrolado", destacando que há muitas pessoas a serem retiradas da vila de Gonçalo.

"O incêndio está completamente descontrolado", afirmou Sérgio Costa às 20.25 à agência Lusa.

Numa breve declaração, o autarca adiantou que eram muitas as pessoas a serem retiradas da vila de Gonçalo. "O programa Aldeia Segura [Pessoas Seguras] está a ser ativado em todas as aldeias do sul do concelho", declarou.

O presidente da Câmara esclareceu ainda que há meios no local, mas com a intensidade do vento "é muito complicado" o combate.

Entretanto, o presidente do município de Manteigas, Flávio Massano, escreveu na sua conta na rede social Facebook que estava o caos em Vale de Amoreira. "Há focos em todo o lado, dentro e fora da aldeia. Os bombeiros não chegam para tudo, todos os civis andam no combate com o que podem. Não há comunicações, não consigo dar mais informações", refere a publicação feita há cerca de três horas.

Na altura, Flávio Massano explicava que "as frentes progridem em direção a Valhelhas e noutras direções", acrescentando: "Pedem-se bombeiros e meios aéreos por todo o lado!".

O grande incêndio da serra da Estrela teve esta segunda-feira um reacendimento em Vale de Amoreira, no concelho de Manteigas, o que obrigou à evacuação da aldeia e do parque de campismo de Valhelhas, no vizinho município da Guarda.

Em declaração à agência Lusa, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorros (CDOS) da Guarda adiantou que o reacendimento ocorreu "ao início da tarde" em Vale de Amoreira.

Apesar de nos concelhos da serra da Estrela terem ocorrido outros incêndios rurais esta semana, este incêndio, que deflagrou na madrugada do dia 6 (sábado) na Covilhã (distrito de Castelo Branco), destacou-se pela sua dimensão, uma vez que só foi dominado uma semana depois, na noite de sexta-feira, dia 12.

Além de atingir o concelho da Covilhã, chegou a Manteigas, Gouveia, Guarda e Celorico da Beira, no vizinho distrito da Guarda, queimando um total superior a 14 mil hectares, segundo dados provisórios. Em causa está uma área de parque natural classificada.

Pelas 20.45, estavam no terreno 559 operacionais, apoiados por 174 viaturas e um meio aéreo, segundo o sítio na Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG