Portuguesa recebe uma das principais bolsas do mundo em saúde mental

Investigadora da Universidade do Minho pretende "apoiar novas estratégias para prevenir, retardar e reduzir" o declínio cognitivo

Uma investigadora da Universidade do Minho recebeu a bolsa NARSAD, "uma das mais prestigiadas" na investigação em saúde mental, e pretende identificar novos biomarcadores do declínio cognitivo inerentes ao envelhecimento, neurodegeneração e exposição ao stress crónico, anunciou aquela instituição.

Em comunicado enviado hoje à agência Lusa, a academia minhota explica que a bolsa atribuída a Neide Vieira, de 32 anos e a o pós-doutoramento no Instituto de Investigação em Ciências da Vida e da Saúde (ICVS), na Escola de Medicina da Universidade do Minho, em Braga, distingue os jovens investigadores "mais promissores do mundo" naquela área de estudo.

Segundo o texto, a investigadora pretende "apoiar novas estratégias para prevenir, retardar e reduzir" o declínio cognitivo.

"Os mecanismos moleculares subjacentes ao envelhecimento e a doenças associadas, como as neurodegenerativas, não são ainda completamente conhecidos. Acredita-se que se prendam em parte com a desregulação do equilíbrio proteico no interior das células, ou seja, que diferentes proteínas se apresentem em maior ou menor quantidade, conduzindo a uma disfunção celular", explica a investigadora no texto.

A UMinho explica que "o estudo das proteínas envolvidas na manutenção daquele equilíbrio é, por isso, essencial" pelo que um dos objetivos da investigação de Neide Vieira é "compreender como a expressão e função de certas proteínas muda durante o envelhecimento e na presença de fatores ambientais de risco".

Em concreto, "de que forma estas alterações podem afetar negativamente o sistema nervoso central, nomeadamente a memória e a aprendizagem, através da desregulação da neurotransmissão", sustenta a investigadora cujo estudo, que inclui testes com roedores, vai ser realizado em colaboração com o Instituto de Biologia Molecular e Celular de Singapura.

A "NARSAD Young Investigator Grant" foi atribuída pela Brain & Behavior Research Foundation (EUA), a entidade que mais apoia a pesquisa em neurobiologia no mundo, tendo o júri de avaliação incluido dois Prémios Nobel.

Neide Vieira nasceu em 1984 em Pretória (África do Sul), filha de portugueses, tendo-se licenciado em Biologia Aplicada.

A investigadora doutorou-se em Ciências Biológicas pela UMinho, em parceria com a Universidade de Aberdeen (Reino Unido) e conta com trabalhos desenvolvidos no Instituto Jacques Monod e na École Normale Supérieure (França).

A cientista fez depois um pós-doutoramento na Universidade de Nova Iorque (EUA) e desenvolve outro em Neurociências na UMinho, contando ainda com cursos avançados na Arménia, Suíça, Grécia, Espanha.

Exclusivos