Está desvendado o mistério das luzes no planeta-anão Ceres

As luzes brilhantes geraram grande especulação quando foram observadas pela primeira vez

As misteriosas luzes brilhantes no planeta-anão Ceres, o maior na cintura de asteroides que separa Marte de Júpier, podem ter o seu segredo desvendado. Uma nova investigação publicada na revista científica Nature esta quarta-feira demonstra que as brilhantes luzes brancas podem ter origem em grandes planícies de sal.

O mais provável, argumentam os investigadores autores do estudo, é que as luzes sejam reflexos em planícies de sulfato de magnésio ou de outro sal.

As luzes brancas visíveis em Ceres quando o planeta-anão foi fotografado pela primeira vez de perto, pela sonda Dawn da agência espacial norte-americana, a NASA, levantaram grande especulação tanto entre o público em geral como junto da comunidade científica.

Alguns esperavam que os reflexos brilhantes tivessem a sua origem em gelo ou água. A NASA chegou a criar uma sondagem que permitia aos utilizadores escolher várias hipóteses que explicassem as luzes.

"A localização de alguns dos pontos brilhantes coincide com sítios onde vapor de água foi detetado por outras naves", disse Vishnu Reddy, investigador do Instituto de Ciência Planetária citado num comunicado. "Isto deixa-nos confiantes de que os pontos brilhantes são depósitos de sal deixados após a sublimação de água salgada".

Os investigadores sublinham no artigo publicado na Nature que poderá haver uma camada de gelo sob a superfície de Ceres. Os locais onde se veem as planícies de sal podem ser lugares onde meteoros quebraram a superfície exterior e expuseram a camada inferior, permitindo que a água sublimasse (passasse diretamente do estado sólido para o gasoso), deixando apenas o sal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG