Plataforma recebe família síria de sete pessoas. Nos próximos dois meses serão acolhidos 79 refugiados

Sete sírios da mesma família estão a caminho de Braga, os primeiros de um total de 79 pessoas que serão apoiadas pela Plataforma de Apoio aos Refugiados nos próximos dois meses.

Uma família síria chegou às 15h25 ao Aeroporto de Lisboa, num avião proveniente da Turquia, ao abrigo do Programa de Reinstalação. Trata-se da primeira família beneficiária de proteção internacional, de um total de 79 pessoas identificadas pelo Alto Comissariado para as Migrações (ACM), que serão acolhidas pela Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR) nos próximos meses.

A estrutura espera receber 14 agregados familiares, no total de 69 pessoas, e dez jovens provenientes de barcos humanitários, o que perfaz 79 novas chegadas.

As sete pessoas foram encaminhadas no mesmo dia para Braga, onde vão iniciar um novo projeto de vida em Portugal. É uma instituição local que os irá apoiar ao longo de 18 meses, período em que se espera que ganhem competências tendo em vista a sua autonomia e integração. A ajuda poderá ser prolongada se tal não se verificar durante este período.

Juntam-se a outros sete refugiados que chegaram ao país esta semana e que foram encaminhados para Barcelos, segundo uma nota do gabinete da ministra de Estado e da Presidência, citada pela agência Lusa.

A PAR manifesta satisfação pela nova chegada, uma vez que, "em Portugal, também o acolhimento de refugiados e de requerentes de asilo sofreu com o impacto da pandemia Covid-19".

"A rede de Instituições Anfitriãs (IA) da PAR tem crescido este último ano, fruto da disponibilidade e sensibilidade que a sociedade civil portuguesa continua a demonstrar ter em questões relacionadas com o acolhimento e integração de refugiados em Portugal", informa a PAR.

Os 79 cidadãos serão encaminhados para dez localidades portuguesas diferentes, o que depende da capacidade de resposta das IA. Vão receber proteção internacional do Estado português e estatuto de refugiado nos termos da Lei de Asilo.

O Programa de Reinstalação é promovido pelo Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), tendo Portugal acolhido 811 pessoas vindas do Egito e da Turquia com diferentes nacionalidades (Síria, Iraque, Etiópia, Sudão, Sudão do Sul, Eritreia e Somália), explica o gabinete da ministra Mariana Vieira da Silva. O programa teve início em 2019.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG