PJ deteve suspeito de atear fogo florestal junto ao Santuário de Lamego

Incêndio colocou em perigo "uma vasta mancha florestal com mais de cem espécies de árvores e ainda o próprio Santuário e outras instalações urbanas"

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta sexta-feira a detenção de um suspeito de atear um incêndio nas imediações do Santuário de Lamego, distrito de Viseu, elevando para 92 o número de pessoas "detidas pelo crime de incêndio florestal".

Em comunicado, a PJ de Vila Real esclarece que o incêndio, que deflagrou pelas 11:30 de 5 de agosto, colocou em perigo "uma vasta mancha florestal com mais de cem espécies de árvores e ainda o próprio Santuário e outras instalações urbanas".

Essas áreas "apenas não foram consumidas" pelas chamas "devido à rápida deteção e pronta intervenção dos populares e funcionários do Santuário", salienta a polícia.

"No corrente ano a PJ já identificou e deteve 92 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal", acrescenta o comunicado.

De acordo com aquela força policial, o homem detido por estar "fortemente indiciado pela prática do crime de incêndio florestal" tem 62 anos.