Roubadas 800 mil contas de site pornográfico

Hackers tiveram acesso a informação dos utilizadores e estão agora a vendê-la na internet

Piratas informáticos atacaram o site pornográfico Brazzers e roubaram quase 800 mil contas para descobrir dados dos utilizadores, que estão agora a ser vendidos pela internet, na Dark Web. Apesar de o ataque ter sido dirigido a um dos fóruns do site, foram roubadas também informações contas de quem nunca se inscreveu neste fórum mas tinha conta no Brazzers.

A informação roubada incluiu contas de email, nomes de utilizadores e palavras-passe de 790,724 pessoas, segundo a publicação especializada Motherboard, que cita o vigilante.pw, um site de vigilância e segurança na internet.

Matt Stevens, relações públicas do Brazzers, disse à Motherboard que o ataque informático ocorreu devido à "vulnerabilidade de um software [fornecido por outros], o vBulletin, e não do Brazzers em si".

Recentemente foi divulgado que um site criado para os fãs do jogo de video Grand Theft Auto e que também usa o software vBulletin foi invadido por piratas informáticos que conseguiram os dados de cerca de 200 mil pessoas.

No artigo da Motherboard, é deixado um conselho a quem cria contas em qualquer tipo site: usar um email e uma palavra passe única para cada site. Assim, caso a conta seja atacada por hackers estes não conseguem descobrir muitas informações sobre os utilizadores.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.