Petição contra aquário em Ponta Delgada recolhe mil assinaturas

Os autores da petição defendem que o turismo dos Açores ganha pela "beleza da natureza que ainda não foi tocada pela mão do Homem"

Cerca de mil pessoas assinaram uma petição online contra um aquário na baía de Ponta Delgada, que o arquiteto Nuno Paiva, um dos peticionários, considera ir contra o modelo turístico dos Açores e urbanismo da cidade.

"O conceito do projeto vai contra o que foi feito nos últimos anos em termos de desenvolvimento de um turismo sustentável nos Açores, sendo que a própria região já foi galardoada, por várias vezes, com prémios neste sentido, englobando-se tanto a vertente ambiental como humana", disse o arquiteto à agência Lusa.

Promotores privados estão a projetar um aquário de grandes dimensões para a baía de Ponta Delgada, o "Azores Aquarium", projeto que representa um investimento de 15,5 milhões de euros e está em fase de licenciamento. Estima-se que o projeto receba 200 mil visitantes por ano, criando 30 postos de trabalho.

A empresa pública Portos dos Açores, que detém a jurisdição sobre a baía de Ponta Delgada, onde funciona o porto comercial, publicou a 27 de outubro de 2015 um edital a informar que lhe foi apresentado um requerimento para atribuição da concessão do uso privado da área de domínio público sob a sua alçada para a construção de um aquário, entre outras instalações.

Nuno Paiva manifestou-se "surpreendido" com o projeto e levantou "dúvidas", em termos arquitetónicos, sobre a inserção do aquário na baía de Ponta Delgada e acerca da "forma como se relaciona" com a cidade e o "precedente que se pode abrir" ao permitir uma construção naquela localização.

"A sua localização naquele sítio aponta para vários aspetos que são importantes focar, como a relação histórica da cidade com o mar, que fica debilitada", declarou o arquiteto, apontando que se corre o risco de se criar uma "nova frente marítima" em Ponta Delgada.

Nuno Pavia lamentou, ainda, que o projeto tenha sido apresentado como um "dado adquirido", estranhando que, além da publicação do edital por parte da Portos dos Açores, não tenha havido espaço para uma discussão pública para as pessoas se pronunciarem sobre o projeto e respetiva localização. Na petição, os seus autores referem que o turismo das ilhas dos Açores "ganha pela sustentabilidade e beleza da natureza que ainda não foi tocada pela mão do Homem".

"Os turistas procuram apreciar os animais, quer marítimos, quer terrestres no seu estado natural. Isto já é possível através de mergulho, vela, observação de pássaros, entre outros", afirma o documento.

Os peticionários consideram, ainda, que a construção de um parque temático no sentido de criar um aquário "vai contra este princípio de visualizar as espécies no seu habitat natural".

Segundo os autores da iniciativa, o "gasto de 15 milhões num projeto desta natureza é extremamente ganancioso" quando há "tantas outras infraestruturas" já construídas a manter, bem como acessos às praias, conservação e preservação dos locais considerados reserva natural.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG