Papa defende que Igreja deve pedir perdão a homossexuais

Francisco também defende pedidos de perdão pelo tratamento dado a mulheres e por ter tolerado trabalho infantil

Pela primeira vez na história da Igreja, um Papa defendeu que os católicos devem um pedido de perdão aos homossexuais. O reconhecimento aconteceu ontem, no avião que trouxe o sumo pontífice de regresso da viagem à Arménia.

Questionado por um jornalista sobre a urgência desse pedido de desculpas, após o atentado que resultou na morte de 49 pessoas num clube noturno gay, em Orlando, Califórnia, o Papa Francisco não escondeu a tristeza ao ser recordado desse acontecimento, lembrando que a Igreja ensina que os homossexuais "não devem ser discriminados, devem ser respeitados e acompanhados pastoralmente.

Mas depois reconheceu que um pedido de desculpas é devido. Não apenas por falhas perante a comunidade gay mas também por várias outras: "Eu penso que a Igreja não só deve pedir desculpas...a uma pessoa gay que tenha ofendido mas também deve pedir desculpas aos pobres, às mulheres que foram exploradas, às crianças que foram exploradas pelo trabalho. E deve pedir desculpa por ter abençoado tantas armas", acrescentou.

A Igreja Católica continua a considerar que os atos homossexuais (mas não a orientação) são pecado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG