Mistério dos pontos brilhantes de Ceres volta a surpreender cientistas

Astrónomos descobriram variações inesperadas durante o dia e a noite

Ceres é um planeta-anão localizado na cintura de asteroides entre Marte e Júpiter e continua a ser um mistério para os cientistas. Tudo por causa dos seus inesperados pontos brilhantes. E agora há mais uma surpresa: o espectrógrafo HARPS, montado no Chile, detetou movimentos não esperados destes pontos de luz. Não só do dia para a noite, como entre noites.

Visto da Terra Ceres não é mais do que um pequeno ponto, mas graças à sonda Dawn, da NASA, que está na órbita de Ceres há mais de um ano, foi possível mapear a sua superfície com grande detalhe.

"Uma das maiores surpresas foi a descoberta de manchas muito brilhantes, que refletem muito mais radiação do que o seu meio envolvente muito mais escuro. A mais proeminente destas manchas situa-se no interior da cratera Occator e sugere que Ceres pode ser um mundo muito mais ativo do que a maioria dos seus vizinhos asteroides", refere o comunicado do Observatório Europeu do Sul (ESO).

"Encontrámos efetivamente as variações no espetro que esperávamos devido à rotação de Ceres, mas mais do que isso, encontrámos também outras variações consideráveis de noite para noite", disse Antonino Lanza, do INAF - Observatório Astrofísico de Catania e co-autor do estudo.

Mas o que provoca estas variações? A resposta ainda não é certa. Em comunicado, o ESO explica que a equipa concluiu que as variações observadas podem ser devido à presença de substâncias voláteis que se evaporam sob a ação da radiação do sol. "Quando as manchas no interior da cratera Occator estão no lado iluminado pelo Sol formam plumas que refletem a radiação solar de modo muito eficaz. Este efeito, no entanto, varia de noite para noite, dando origem a padrões aleatórios adicionais, tanto para escalas de tempo curtas como para escalas de tempo mais longas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG