"Luto de uma vida não cabe em 5 dias". Petição propõe alargamento do período de luto

A associação ACREDITAR apela ao alargamento do período de luto pela perda de um filho para 20 dias.

A ACREDITAR (Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro) lançou esta quarta-feira uma petição que propõe o alargamento do período de luto pela perda de um filho para 20 dias.

Ao longo de 27 anos no acompanhamento de pais de crianças vítimas de cancro, a associação alega que o período de cinco dias de luto correspondente à legislação atual não é suficiente para existirem condições de regressar ao trabalho. "Mesmo quando o retorno à vida laboral pode ser um contributo positivo para o processo de luto, este período não chega. Um pai ou uma mãe que durante largos períodos de tempo, muitas vezes vários anos, acompanhou um filho doente que acaba por morrer, dificilmente tem condições para encarar o retorno imediato à vida laboral", dizem em comunicado.

A campanha de luto parental abre discussão para o espaço público sobre a mudança legislativa através da metáfora: "Não há nome para um pai que perde um filho e não há tempo para esse luto", remetendo ao abandono no processo de luto.

A iniciativa de apoio oncológico refere ainda a importância do papel dos cuidadores, especialmente durante a pandemia. A procura de apoio psicológico e financeiro pelas famílias refletiu-se-se no aumento significativo dos pedidos que a ACREDITAR recebeu, tendo a associação apoiado cerca de 1520 famílias em 2020.

A petição pode ser assinada aqui.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG