O estranho caso da flor que cheira a cadáveres 

O seu florescimento é um acontecimento porque é muito raro e dura muito pouco tempo, apenas um dia. É possível ver em direto na internet

É muitas vezes considerada a maior flor do mundo e detém o recorde no Livro do Guinness e portanto é uma atração em estufas e jardins botânicos de todo o mundo. Mas o que a torna ainda mais estranha é o cheiro de emana quando floresce e que lhe dá o nome popular de flor-cadáver: chama-se Amorphophallus titanum, é nativa de Samatra, mas este verão é uma atração de estufas de Bruxelas a Washington.

Segundo o Livro dos Recorde do Guinness, a Amorphophallus titanum pode medir mais de três metros e pesar mais de 75 kg. O seu florescimento é um acontecimento porque é muito raro e dura muito pouco tempo, apenas um dia antes de murchar. No jardim do botânico do Bronx, em Nova Iorque, é a primeira vez desde 1939, avança o Washington Post.

Para ver a flor-cadáver em todo o seu esplendor os visitantes estão dispostos a suportar o cheiro intenso que emana, que tem a função de atrair os insetos.

Para quem não pode ou não quer aproximar-se da planta os jardins de Nova Iorque e Washington têm webcams a transmitir em direto aqui e aqui.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG