Dois terços da população mundial viverá nas cidades em 2050

Nações Unidas calculam que 68% da população mundial será urbana e irá concentrar-se maioritariamente na Índia, China e Nigéria

A população que vive em áreas urbanas vai atingir os 2,5 mil milhões de pessoas em todo o mundo em 2050, representando 68% da população mundial, com o crescimento concentrado na Ásia e na África, pode ler-se num relatório divulgado esta quinta-feira pelas Nações Unidas.

O Departamento de Assuntos Económicos e Sociais das Nações Unidas apresentou um relatório sobre as previsões para a urbanização mundial, salientando que existe uma "mega tendência" para o aumento nas áreas urbanas devido ao crescimento populacional e ao deslocamento das áreas rurais para as cidades.

"Cerca de metade da população mundial (55%) vive atualmente em centros urbanos e, para 2050, estima-se que cerca de dois terços (68%) de todas as pessoas residam em áreas urbanas", afirmou John Wilmoth, diretor de divisão do departamento.

O aumento na população urbana mundial estará concentrado (90%) em duas regiões que acolhem precisamente a maioria dos residentes rurais, África e Ásia, mas será limitado a "alguns países", entre os quais a ONU destacou a Índia, a China e a Nigéria.

Também vão existir mais megacidades. Hoje, sob essa denominação existem 33 aglomerados habitacionais e, até 2030 mais 43 estão projetados, principalmente em países em desenvolvimento.

A urbanização pode ser vista como positiva, segundo John Wilmoth, diretor da divisão populacional, citado pela Reuters.

A crescente concentração de pessoas nas cidades oferece uma maneira de fornecer serviços mais económicos. Nós achamos que as populações urbanas têm melhor acesso aos cuidados de saúde e educação.

A concentração da população também pode ajudar a minimizar o impacto ambiental no planeta e ajudar as cidades a projetar políticas e práticas para se preparar para o influxo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG