Jovem espanhola sobrevive há 12 anos sem comer ou beber

Há 12 anos que Noelia não come nem bebe nada, consequência de uma obstrução crónica no intestino

Há 12 anos que Noelia não come nem bebe nada, nem sequer água, consequência de uma doença rara, chamada pseudo-obstrução intestinal crónica (POIC), que a impede de absorver qualquer nutriente. Para sobreviver, a jovem de 18 anos depende de um saco com dois litros de um líquido que a alimenta de forma intravenosa, conta o El Mundo.

A jovem, que é coordenadora de uma ONG chamada Somos Nupa, tenta fazer uma vida normal e sensibilizar os outros para a luta dos doentes que necessitam receber a alimentação via parenteral, através da associação.

Para Noelia, até um copo de água tem efeitos negativos no organismo, escreve o jornal espanhol, que usa este exemplo para explicar que em Espanha há cerca de 200 adultos que são alimentados de forma intravenosa - a chamada terapia ou nutrição parenteral.

Segundo o médico José Manuel Moreno, pediatra especializado em nutrição parenteral, citado pelo El Mundo, "metade dos doentes tem doenças malignas. Nos outros 50% dos casos, existe uma ampla gama de problemas que podem causar falha no intestino: doenças inflamatórias (tais como Crohn), que têm levado a cirurgias sucessivas ou a falta de fornecimento de sangue (por um acidente, isquemia, trombo...)".

A espanhola carrega cuidadosamente todos os dias uma mochila com todo o material necessário à sua sobrevivência e é ela que administra as suas próprias refeições, sendo esta a única solução encontrada para que os prisioneiros desta doença possam ter uma vida normal.

A doença não tem cura e as bolsas são para carregar durante toda a vida, preparadas individualmente com os nutrientes necessários de acordo com os resultados das análises feitas regularmente.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG