Mulher em estado "muito grave" depois de ser esfaqueada pelo marido

Homem de 79 anos atacou a companheira e tentou suicidar-se em seguida. Estão ambos internados

Uma mulher de 79 anos que na terça-feira à noite foi esfaqueada na barriga, alegadamente pelo marido, encontra-se internada, em estado "crítico", nos cuidados intensivos do hospital de Viana do Castelo, disse hoje à Lusa fonte daquela unidade.

De acordo com a mesma fonte, o homem, também de 79 anos, que após a alegada agressão à mulher "tentou o suicídio", encontra-se "estável", internado no serviço de especialidades cirúrgicas da unidade situada na capital do Alto Minho.

Ambos foram sujeitos a intervenções cirúrgicas.

Contactada na terça-feira à noite pela Lusa, fonte do comando territorial da GNR de Viana do Castelo adiantou que o caso de "violência doméstica", cujas causas são ainda desconhecidas, ocorreu cerca das 20:00 na freguesia de Vila de Punhe, na margem esquerda do rio Lima, naquele concelho.

Segundo a mesma fonte tratou-se de "um caso de tentativa de homicídio, seguido de tentativa de suicídio".

Aquela fonte policial adiantou que a mulher "foi cortada no abdómen com uma arma branca" e que o marido, que ficou ferido com menos gravidade, "infligiu a si próprio duas facadas no abdómen".

Por envolver arma branca, o caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária, que se deslocou ao local na noite de terça-feira.

Ao local compareceram ainda o INEM e a GNR.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.