Mulher desaparecida há três dias. PJ suspeita que foi raptada pelo ex-companheiro

Ex-companheiro de Anabela tê-la-á ameaçado antes do Natal

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar o desaparecimento de uma mulher residente em Azinheira dos Barros, Grândola, e de um homem com quem esta teve um relacionamento, que é suspeito de rapto. Anabela Lopes, 37 anos, não é vista desde domingo, horas antes de ter sido dado o alerta às autoridades na madrugada de segunda-feira. O ex-companheiro, Paulo Roque, de 39 anos, também está desaparecido. Devido às ameaças que este lhe terá feito, as autoridades suspeitam que este a terá raptado.

Anabela e Paulo viveram uma relação conturbada durante ano e meio, segundo o Correio da Manhã, que terá piorado quando ela decidiu sair de casa há cerca de um mês. "Se eu for, vais também", ter-lhe-á dito, aconselhando-a também a "gozar" o Natal e a passagem de ano.

De acordo com a mesma fonte, Anabela - que já fizera queixa por violência doméstica - saiu mesmo de casa e encontrou refúgio na casa de Jacinta Lage, no café de quem dava uma ajuda durante a semana. Ao fim de semana trabalhava numa coletividade.

Às quatro da manhã de segunda-feira, a amiga estranhou que não tivesse regressado a casa e pediu a um amigo que a procurasse. Acabaram por encontrar o carro que Anabela usava, com sinais de ter sido abalroado. A chave estava na ignição, o cinto de segurança estava pendurado para fora do vidro partido, mas não havia sinais de sangue.

As autoridades encontraram depois, abandonado, o reboque usado por Paulo, que também nunca mais foi visto. Entretanto, desapareceu uma outra viatura, um Renault Mégane, que, suspeita-se, terá sido usada por Paulo para parar o carro de Anabela e depois levá-la.

Paulo Roque é tido como uma pessoa violenta, tendo, segundo o Correio da Manhã, cumprido uma pena de sete anos de prisão em Pinheiro da Cruz, por abuso sexual de uma enteada.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG