Moedas ataca Medina. "Odemira também é Lisboa, há uma cidade escondida"

O candidato da coligação PSD/CDS/PPM/MPT e Aliança reagiu com muitas críticas ao presidente da Câmara de Lisboa por causa do "silêncio complacente" de Fernando Medina em relação aos imigrantes que vivem e trabalham na capital.

A reportagem do DN "imigrantes que não alugam casa. Pagam por cama ou vaga" levou Carlos Moedas a acusar o adversário do PS, Fernando Medina de ter "um silêncio complacente" em relação aos que procuram Portugal e vivem em "condições desumanas" sem que, alega o candidato autárquico, "se digne a dar-lhes uma resposta social digna".

Carlos Moedas recorda que Medina comentou o caso de grupos de imigrantes ilegais a residir no concelho de Odemira criticando a falta de fiscalização que levou ao "desequilíbrio ambiental e dos serviços". E exige respostas ao atual presidente do município sobre o que se está a passar com os imigrantes em Lisboa.

"Que desequilíbrios se verificam em Lisboa neste caso em concreto? E quem é responsável por eles? Quem autorizou, quem tolerou que estas pessoas estejam hoje a viver nestas condições? Fernando Medina não fiscaliza? Não sabe o que se passa? Prefere não saber ou fazer crer que não sabe?" E remata: "Qualquer das hipóteses é grave, mas os Lisboetas têm direito à verdade."

Na reportagem publicada esta segunda-feira pelo DN relata-se que "arrendar uma casa ou um quarto é uma frase que não entra nas conversas dos imigrantes acabados de chegar às grandes cidades. Em Lisboa, pagam 100 a 250 euros por uma cama ou uma vaga, dormem em beliches que ocupam todos os cantos de uma assoalhada. Vivem em prédios velhos e degradados, o que demonstra que há muitas "Odemiras" em Portugal. O elevado custo da habitação afeta tanto os portugueses como os estrangeiros, mas são maiores as dificuldades para quem vem de longe".

Para o candidato da coligação PSD/CDS/PPM/MPT e Aliança não podemos ter um presidente de câmara que feche os olhos às denúncias do que se passa na cidade. "Não podemos ter um presidente da câmara que, de braço dado com o vereador do BE, apresenta Lisboa como a cidade do acolhimento, disponibilizando-se para receber migrantes e refugiados e depois não lhes garante as condições mínimas", afirma.

Carlos Moedas considera que o DN revelou "a Lisboa escondida" que resulta da governação de Medina. "Escondida atrás da Lisboa de fachada que Fernando Medina quer mostrar para agradar e privilegiar uma certa elite em detrimento de criar condições sociais dignas para todos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG