Mesa de voto em Montalegre, bloqueada com cadeados e contentores

"Não à mina, Sim à Vida", pode ler-se em tarjas e cartazes junto ao local da votação, aludindo à exploração de uma mina de lítio na freguesia.

Boicote em Montalegre. A mesa de voto da Junta de Freguesia de Morgade, estava de portas encerradas a cadeado e bloqueadas por contentores de ecoponto para impedir a votação. Além disso havia trajas e cartazes com mensagens a dizer: "Não à mina, Sim à Vida." A GNR foi chamada ao local e o horário de abertura foi cumprido, mas as pessoas estão a optar por não votar.

Segundo o presidente da Junta, José Nogueira, a população estará novamente a protestar contra exploração de uma mina de lítio a céu aberto nesta freguesia de Montalegre, no distrito de Vila Real, à semelhança do sucedido nas eleições legislativas e europeias de 2019.

"Houve efetivamente bloqueio, com contentores de ecoponto na entrada e pedras que tiveram de ser removidos, e agora mantém-se o bloqueio no sentido de não haver ninguém a votar", sublinhou.

Para José Nogueira, esta é "mais uma forma de protesto que as pessoas têm e um direito que lhes assiste para ver se efetivamente são ouvidas".

Fonte da GNR de Vila Real adiantou à Lusa que as duas portas de entrada para o edifício onde está instalada a mesa de voto naquela localidade sofreram uma tentativa de bloqueio, inclusive com cadeados. Segundo a mesma fonte, "não se registaram incidentes e foi cumprido o horário inicialmente previsto para a abertura".

O contrato de concessão de exploração de lítio no concelho de Montalegre foi assinado em março de 2019, entre o Governo e a Lusorecursos Portugal Lithium, e tem estado envolto em polémica.

A empresa tem dito que a exploração da mina de lítio em Morgade vai ser mista, efetuando-se primeiro a céu aberto e depois em subterrâneo, e prevê a construção de uma unidade industrial para transformação do minério.

Acompanhe aqui o ato eleitoral.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG