Mais 67 mortes, o segundo valor mais baixo do ano

Dados da DGS indicam que há mais 4404 pessoas que recuperaram da covid-10 em Portugal. Número de mortos (67) é o segundo mais baixo do ano.

Portugal registou, nas últimas 24 horas, mais 67 mortes e 1940 novos casos de covid-19, segundo os dados atualizados da Direção-Geral da Saúde (DGS). É o segundo valor mais baixo do ano (o boletim da DGS revelava em 1 de janeiro).

Na prática, o número de mortos de hoje - caso se consolide nos próximos dias - faz a incidência da pandemia regressar a valores anteriores ao início da 3ª vaga (finais de dezembro/principios de janeiro).

O boletim epidemiológico desta sexta-feira (19 de fevereiro) indica que há mais 4404 pessoas que recuperaram da doença. O saldo continua positivo face ao número de novos infetados (1940).

No total, desde que a pandemia começou - em março de 2020 -, as autoridades de saúde confirmaram 794769 casos da doença e 15821 óbitos.

Os internamentos continuam a baixar. São agora 3584 (menos 235 do que há um dia). Nos cuidados intensivos estão 669 pessoas (menos 19 do que há 24h). Na incidência regional, a região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) continua a registar metade dos novos infetados. Segue-se o Norte (21%), Centro (15%), Algarve (4%) e Alentejo (3%).

Já a segmentação etária dos novos mortos é a seguinte: 50-59 anos: 1 morto; 60-69: 25 mortos; 70-79: 17 mortos; 80 ou mais anos: 39 mortes.

A Madeira continua com muitos casos novos de infeção (140) mas voltou a não registar qualquer fatalidade. Também não morreu ninguém nos Açores mas o número de novos infetados é ali bastante inferior: apenas mais onze do que ontem.

Apesar da tendência de diminuição no número diário de infetados e de internados, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales afirmou esta sexta-feira que ainda "é prematuro estarmos a falar de desconfinamento".

Em Coimbra, o governante disse que o processo de vacinação contra a covid-19 não pode chegar a todos ao mesmo tempo e que existem prioridades que devem ser consistentes.

"O Plano de Vacinação deve ser reajustável e redefinido em função da própria evolução epidemiológica e do nosso conhecimento e aprendizagem", referiu António Lacerda Sales, depois de questionado sobre alterações ao plano.

Destacou que a grande prioridade "é defender as faixas mais vulneráveis, que são as mais idosas e a partir dos 50 anos com comorbilidades" e os idosos com mais de 80 anos.

No entanto, salientou, "isso não significa que serviços essenciais [forças de segurança e bombeiros] não sejam também vacinados e muitos já o foram nesta fase".

Variante do Reino Unido já é responsável por quase metade dos casos em Portugal

Também nesta sexta-feira, o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA) informou que a variante do vírus SARS-CoV-2 detetada no Reino Unido já é responsável por quase metade dos casos de covid-19 em Portugal, quando no início de janeiro representava 8% das infeções.

"À data de 16 de fevereiro [terça-feira], estimamos que esta variante represente cerca de 48% de todos os casos covid-19 em Portugal", disse à Lusa João Paulo Gomes, investigador do INSA e coordenador do estudo sobre a diversidade genética do novo coronavírus em Portugal.

Segundo os dados do INSA, a incidência no país desta variante do vírus que provoca a covid-19, considerada mais contagiosa, tem vindo a crescer desde o início do ano, registando-se um aumento constante ao longo de várias semanas, no período em que foi registado o maior número de infeções em Portugal.

Mercado de Campo de Ourique foi alvo de descontaminação após funcionário testar positivo

Hoje, o Mercado de Campo de Ourique, em Lisboa, foi alvo de uma descontaminação tendo em conta que um funcionário do espaço testou positivo à covid-19, disse à Lusa o presidente da Junta de Freguesia, Pedro Costa.

"Ontem [quinta-feira] à noite tivemos conhecimento de um caso positivo e contactei com o vereador Miguel Gaspar [responsável pela Proteção Civil] para acionar o plano. Logo pelas 07:00 estive com os serviços municipais no mercado e agora está em curso" a descontaminação, disse Pedro Costa.

De acordo com o presidente da junta de Campo de Ourique, a autarquia "vai indemnizar os comerciantes pelas perdas das mercadorias de hoje", ainda não se sabendo se haverá ou não condições para a reabertura no sábado. Tudo vai depender dos inquéritos epidemiológicos que estão a ser feitos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG