Mais 3 mortes e 559 casos em Portugal. Rt e incidência sobem

Há agora 55 pessoas com covid-19 internadas nos cuidados intensivos, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

Registaram-se mais 559 casos de covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). O relatório desta sexta-feira (21 de maio) indica que morreram mais 3 pessoas devido à infeção por SARS-CoV-2.

Estão agora internados 207 pessoas (menos 1 que ontem), das quais 55 em unidades de cuidados intensivos, menos 3 que ontem.

Os dados da DGS indicam que o Rt subiu e passou a ser de 1.03 a nível nacional, e o mesmo no continente. A incidência também subiu nas últimas 24 horas e passou para 52,6 casos de infeção por SARS-CoV-2/ COVID-19 por 100 000 habitantes a nível nacional. E 49,5 casos de infeção por SARS-CoV-2/ COVID-19 por 100 000 habitantes no Continente.

Dados atualizados da pandemia em Portugal um dia depois de se saber que a task force do plano de vacinação vai implementar um sistema que passa por iniciar a vacinação de várias faixas etárias com o intervalo de uma semana, entre o final de maio e o início de junho, e em simultâneo.

Assim sendo, primeiro começarão a ser vacinados os maiores de 50 anos. Uma semana depois os maiores de 40 e uma semana mais tarde os maiores de 30. Segundo explicou ao DN fonte da task force, o auto agendamento para estas faixas etárias será aberto uns dias antes do início da vacinação, embora, neste momento, ainda não seja possível avançar com datas.

Algarve vai receber mais vacinas para acelerar processo

Já esta sexta-feira, o DN dá conta que a Administração Regional de Saúde do Algarve vai receber mais vacinas para poder acelerar o processo de vacinação, segundo fonte da task force, liderada pelo vice-almirante Gouveia e Melo,.

O objetivo "é poder vacinar-se mais rapidamente a população maior de 60 anos para se iniciar ao mesmo tempo em todo o país a vacinação faseada e em simultâneo das faixas etárias dos 50, 40 e 30 anos", explicou a mesma fonte.

Também hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS) fez saber que o excesso de mortalidade causado pela pandemia é duas a três vezes maior do que as mortes atribuídas à covid-19 desde o surgimento dos primeiros casos no final de 2019 na cidade chinesa de Wuhan.

Segundo a OMS a covid-19 causou pelo menos três milhões de mortes diretas e indiretas em 2020, enquanto o número de mortes atribuídas ao vírus foi de cerca de 1,8 milhões.

"Isso corresponde a estimativas semelhantes que preveem que o número total de mortes é pelo menos 2 a 3 vezes maior" do que o número oficial de mortes da covid, disse em conferência de imprensa a vice-diretora geral responsável pelos dados da OMS, Samira Asma.

De acordo com seus cálculos, a especialista estima que a pandemia já causou "cerca de 6 a 8 milhões" de mortes diretas e indiretas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG