Quase 26 mil casos em dia com 15 mortes e internamentos a subir

Há agora 1203 pessoas internadas, mais 36 do que ontem, devido à covid-19, das quais 47 estão em unidades de cuidados intensivos.

Portugal confirmou, em 24 horas, 25 836 novos casos de covid-19 e 15 mortes associadas à doença, indica o boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde (DGS). Dados do relatório desta terça-feira (4 de janeiro) mostram que há agora 1203 internados, dos quais 47 estão em unidades de cuidados intensivos.

Há, no entanto, mais 19931 pessoas que recuperaram da doença, elevando para 1 227 642 o número total de recuperados. São agora 213 749 casos ativos em Portugal e 188 485 contactos em vigilância.

A região de Lisboa e Vale do Tejo lidera o número de casos com 576 161, o que revela um crescimento de 10 831 nas últimas 24 horas.

Apesar dos números elevados de testes e novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2, com registo de recordes nas últimas duas semanas, o número de pessoas internadas está a cerca de um terço do que se verificava há um ano.

O recorde de novos casos diários de contágio pelo SARS-CoV-2 atingido a 31 de dezembro de 2021 foi precedido de um recorde absoluto de testes, mas em todo o caso, havia um terço dos internados do que nos mesmos dias em 2020.

Entre 20 de dezembro de 2021 e 3 de janeiro de 2022, foram diagnosticados 178 569 novos casos

No período entre 20 de dezembro de 2021 e 3 de janeiro de 2022, foram diagnosticados 178 569 novos casos de infeção. Olhando para trás um ano, surgiram 55.467 novos casos no mesmo período. O aumento é superior a 220%.

No entanto, na comparação com o ano passado, verifica-se atualmente uma grande diminuição em relação ao número de internados: entre 20 de dezembro de 2020 e 3 de janeiro de 2021, a média de pessoas internadas foi de 2.925,2, com um mínimo de 2.754 registado em 25 de dezembro e um máximo de 3.158 a 21 de dezembro.

Em relação aos cuidados intensivos, a média de internamentos neste tipo de unidades na passagem de 2020 para 2021 foi de 497,5.

Olhando para o período entre esta terça-feira e 20 de dezembro passado, a média de internamentos foi de 959 e a média de pessoas em cuidados intensivos foi de 149.2.

Quanto às mortes atribuídas à covid-19, a descida ainda é mais acentuada: Entre 20 de dezembro de 2021 e 3 de janeiro deste ano, a média de mortes diárias foi de 14,8, menos 79,2% do que a média de 71,4 mortes diárias verificadas no mesmo período de há um ano.

O regresso às aulas vai mesmo acontecer na próxima segunda-feira (10 de janeiro), garantiu o Governo, que aposta no reforço de vacinação contra a covid-19 antes da reabertura das escolas. Isso mesmo disse o secretário de Estado Adjunto e da Saúde em entrevista à CNN Portugal, revelando que entre quinta-feira e domingo, os centros de vacinação vão estar a funcionar em exclusivo para vacinar crianças e professores.

De quinta a domingo. Governo quer vacinar em massa crianças e professores

Embora o número diário de casos continue elevado, o regresso às aulas vai mesmo acontecer na próxima segunda-feira (10 de janeiro), garantiu o Governo, que aposta no reforço de vacinação contra a covid-19 antes da reabertura das escolas. Isso mesmo disse o secretário de Estado Adjunto e da Saúde em entrevista à CNN Portugal, revelando que entre quinta-feira e domingo, os centros de vacinação vão estar a funcionar em exclusivo para vacinar crianças e professores.

António Lacerda Sales fez saber que o núcleo de coordenação, em conjunto com o Executivo liderado por António Costa, decidiu que as tardes dos dias 6,7,8 e 9 de janeiro vão ser dedicadas à vacinação com a dose de reforço dos professores de todos os graus de ensino e dos profissionais de creches e ATL. "Parece-nos ser muito importante defender toda a comunidade escolar", referiu.

O secretário de Estado explicou que esta vacinação vai ser feita através do regime Casa Aberta, com recurso a senhas digitais. Para ser vacinado, o docente apenas tem de apresentar um documento que comprove a profissão.

Lacerda Sales aproveitou também para fazer um apelo para que os alunos se vacinem em massa entre quinta-feira e domingo, estando o período da manhã dos dias 6,7,8 e 9 de janeiro reservado à vacinação de crianças em auto agendamento.

O governante revelou na mesma entrevista que 30% das crianças receberam a primeira dose da vacina contra a covid-19. "Não estamos exuberantemente satisfeitos, mas diria que há aqui uma expressão de adesão que comparada com a maior parte dos países da Europa é muito boa", disse o secretário de Estado, referindo que o período de auto agendamento das crianças pode ser feito até à meia-noite do dia 6.

Nesse sentido apela aos pais para que façam o auto agendamento das crianças até quinta-feira. "Estou em crer que para além das 200 mil crianças, 100 mil que estão agora auto agendadas com as cerca de 100 mil já vacinadas, possamos vir ainda aumentar estes números", considerou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG