Luís Filipe Vieira libertado da prisão domiciliária

Ex-presidente do Benfica fica sujeito ainda às outras medidas de coação impostas pelo juiz Carlos Alexandre no âmbito da investigação Cartão Vermelho

O Tribunal Central de Instrução Criminal já notificou Luís Filipe Vieira de que está terminado o período de prisão domiciliária a que foi sujeito o ex-presidente do Benfica, depois de terem sido aceites as garantias apresentadas como caução.

O juiz Carlos Alexandre aceitou na quinta-feira as garantias dadas pelo antigo presidente do Benfica para cobrir a caução de três milhões de euros: dois prédios e 240 mil euros.

Luís Filipe Vieira fica ainda sujeito às outras medidas de coação que lhe foram impostas: proibição de abandonar o país e de contactar com os arguidos do processo, à exceção do filho, com os membros do Conselho de Administração da Benfica SAD, e com administradores e funcionários do Novo Banco, além do ex-administrador Vítor Fernandes.

Indiciado por abuso de confiança, burla qualificada, falsificação de documentos, branqueamento de capitais, fraude fiscal e abuso de informação, o ex-líder das águias foi um dos quatro detidos na investigação Cartão Vermelho, que envolve, segundo o Ministério Público, "negócios e financiamentos em montante total superior a 100 milhões de euros, que poderão ter acarretado elevados prejuízos para o Estado e para algumas das sociedades".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG