Milhares nas ruas indignados com onda de incêndios. Morreram quatro pessoas

Aglomerados de pessoas juntaram-se nas principais cidades da Galiza, região onde morreram quatro pessoas, estradas foram cortadas e residentes despejados. Fala-se em "terrorismo incendiário"

Gritos de "fogos nunca mais" foram entoados por milhares de pessoas que se concentraram em algumas das principais localidades galegas, como Vigo, Corunha e Ourense, com a participação de representantes de partidos da oposição.

De acordo com o Faro de Vigo, em Ourense estavam ao início da noite cerca de quatro mil juntaram-se junto à delegação do governo regional e exigiram uma mudança na política florestal e a demissão da conselheira do Meio Rural e do presidente da Junta da Galiza, Alberto Núñez Feijóo.

As declarações de Feijóo, horas antes, quando falou em "terrorismo incendiário" e prometeu mão pesada contra os incendiários, não travou as manifestações. O Faro de Vigo adianta também que em Barcelona e Bruxelas se grita "fogos nunca mais".

Segundo o Meio Rural da Galiza, há 40 incêndios ativos na região, que tiraram a vida a quatro pessoas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.