Jovem encontrado morto em Montemor-o-Velho tinha lesões na cabeça

Leonardo Queda foi encontrado morto na cama no domingo de manhã. Na noite anterior tinha estado envolvido numa rixa

A autópsia ao jovem de 18 anos que foi encontrado morto no domingo de manhã, na cama, pela família, revelou lesões no crânio que podem ter sido causadas por traumatismos. Ainda que se trate apenas de um relatório preliminar da autópsia, as lesões podem indicar que houve agressão, mas serão necessários exames complementares para o provar.

Leonardo Queda, de 18 anos, esteve na noite de sábado nas festas de Montemor-o-Velho, onde terá estado envolvido numa rixa. Segundo o Jornal de Notícias , regressou a casa, em Santo Varão, pelo próprio pé, mas foi encontrado sem vida na manhã seguinte.

Caso a autópsia prove que a causa da morte foram as lesões no crânio, a PJ terá de identificar todos os envolvidos na rixa, explicou ao JN fonte policial, revelando que a tarefa não será fácil. Por outro lado, assinala o JN, mesmo que sejam constituídos quaisquer arguidos, a acusação mais provável nesta situação é a de crime de ofensa à integridade física que, pelo resultado de morte, pode representar uma pena superior a dez anos de prisão.

O Código Penal prevê igualmente o crime de "participação em rixa", que em caso de morte pode ser punido com pena de prisão até dois anos ou pena de multa até 240 dias.

Ler mais

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...